Nome Científico: Discoglossus galganoi Capula, Nascetti, Lanza, Bullini and Crespo, 1985

Nome Comum: Rã-de-focinho-pontiagudo, Discoglosso

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Alytidae
Género Discoglossus
Espécie D. galganoi

Sinonímias: Discoglossus hispanicus, Discoglossus galganoi galganoi

Estatuto de Conservação: NT - Quase Ameaçado

Anfíbio de comprimento médio (4,5 a 6,5 cm) e corpo robusto. Na cabeça, plana, tem como característica mais marcante o focinho pontiagudo. Tem olhos pronunciados com íris dourada e pupilas cordiformes ou arredondadas. Glândulas dorsais dispostas longitudinalmente ao longo do dorso ou mesmo ausentes. Pele lisa, marcada com pequenas verrugas dorsais, mais ou menos evidentes, sendo granulosas na zona ventral. Coloração dorsal variável, que pode ir do pardo-amarelado ao cinzento-esverdeado, com grandes manchas escuras. Podem também apresentar uma coloração uniforme e padrões riscados, com bandas que variam entre tonalidades amarelas, castanhas ou beges.

Ocorre nas imediações de pequenas massas de água com vegetação herbácea. Prefere terrenos encharcados (e.g. prados, lameiros). Durante a reprodução, pode ser encontrada em charcos, ribeiras, canais de rega, lagos litorais e em lagoas costeiras, sendo relativamente tolerante a águas salobras. Refugia-se debaixo do substrato húmido ou entre a vegetação durante o dia ou em períodos menos vantajosos.

Endemismo ibérico que ocorre por todo o território continental português, abaixo dos 1000 m de altitude.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural de Montesinho
Parque Natural da Serra de São Mamede



> Alteração/destruição do habitat e/ou dos locais de reprodução
> Destruição/perturbação de indivíduos
> Desertificação
> Intensificação agrícola
> Introdução de espécies exóticas (e.g. crustáceos, peixes predadores)
> Poluição (e.g. agrícola, industrial, pecuária)
> Regularização de sistemas hídricos

> Protecção dos habitats
> Melhorar o conhecimento da sua biologia
> Conservação dos seus locais de reprodução
> Avaliação do estado actual das populações
> Combater a introdução/expansão de espécies espécies invasoras predadoras
> Adoptar medidas eficazes para prevenção dos incêndios florestais
> Controlo da poluição

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal (2005)
Disponível no portal do ICNF

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Projeto LIFE+ "Conservação de Charcos Temporários na Costa Sudoeste de Portugal" | LIFE Charcos

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Discoglossus galganoi na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO