Nome Científico: Amanita phalloides (Vaill. ex Fr.) Link

Nome Comum: Chapéu-da-morte, Cicuta-verde, Rebenta-bois

Classificação Científica:
Reino Fungi
Filo Basidiomycota
Classe Agaricomycetes
Ordem Agaricales
Família Amanitaceae
Género Amanita
Espécie A. phalloides

Sinonímias: Agaricus phalloides, Amanitina phalloides, Amanita viridis, Fungus phalloides

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Chapéu: globoso e ovóide quando jovem, torna-se convexo e, depois, aplanado, com margem lisa e inteira (3 a 15 cm de diâmetro); cutícula separável, lisa, viscosa em tempo húmido e lustrosa em tempo seco, com textura fibrilosa disposta radialmente e sem restos de véu. De coloração verde-amarelada não uniforme, podendo apresentar uma tonalidade verde-olivácea. Himénio: lâminas brancas com reflexos esverdeados, livres, desiguais, apertadas, espessas e macias. Esporada branca constituída por esporos hialinos, ovóides a subesféricos. Carne branca, densa, amarelada por debaixo da cutícula. Pé: cilíndrico (5 a 20 com de comprimento x 1 a 3 cm de diâmetro) com base bulbosa, branco ou esverdeado (por vezes com tonalidades acastanhadas), com a superfície tipicamente tigrada; liso ou fistulado. Anel: membranoso, persistente e frágil; branco-esverdeado, estriado na face superior. Volva: branca no exterior, membranosa, ampla e persistente.

Nota: trata-se de uma espécie TÓXICA e MORTAL!

Trata-se de uma espécie micorrízica, muito comum, que se observa sob folhosas, em terrenos ácidos e húmidos. Geralmente associada a carvalhos (Quercus sp.) mas também cresce sob faias, bétulas, castanheiros, aveleiras e, menos frequentemente, sob coníferas. Frutifica em finais de Verão e durante o Outono.

Distribui-se por todas as regiões de clima temperado do Hemisfério norte. Em Portugal continental ocorre por todo o território, do norte ao sul do país.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Natural de Montesinho




Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Projecto «Vem conhecer os Cogumelos, uma riqueza do Alentejo»
Departamento de Biologia da Universidade de Évora

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Estudo retrospectivo sobre intoxicação por Cogumelos Amanita phalloides no Hospital Geral de Santo António nos últimos 20 anos.
Rodrigues (2013)

Insuficiência hepática aguda provocada por Amanita phalloides.
Lourenço (2014)

Autor: Jorge Araújo