Nome Científico: Cervus elaphus Linnaeus, 1758

Nome Comum: Veado; Veado-vermelho

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Artiodactyla
Família Cervidae
Género Cervus
Espécie C. elaphus

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se do maior cervídeo de Portugal (segundo maior da Europa). A sua pelagem é castanho-avermelhada durante o Verão e castanho-escura no Inverno. Os machos são maiores, têm um pescoço mais robusto (podem apresentar um género de juba) e têm hastes que caiem após a época de reprodução, voltando a nascer e aumentando o número de ramificações, ano após ano. As fêmeas são desprovidas de hastes, mais pequenas e têm um pescoço mais elegante. Em ambos os casos, a cauda é curta e castanho-clara. As crias possuem manchas brancas no dorso que desaparecem após os 2-3 meses de idade.

Pode ocorrer em variados habitats dado a sua plasticidade ecológica, sendo que, em território português prefere florestas abertas, matagais mediterrânicos ou montados, associados a prados ou clareiras dominadas por herbáceas.

Ainda que ocorrendo do norte ao sul de Portugal, a sua distribuição é muito fragmentada. Os locais de ocorrência mais privilegiados encontram-se sobretudo ao longo da fronteira com Espanha, como nas Serra de São Mamede, na zona do Tejo Internacional, no nordeste Transmontano ou no interior do Alentejo.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural de Montesinho
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede



Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Estudo populacional do veado (Cervus elaphus L.) no Nordeste Transmontano.
Valente e Santos (2009)

Dieta de veado na Serra da Lousã: uma questão de sexo?
Oliveira (2013)

Na Serra da Lousã, há mais de três mil veados. Programa de reintrodução travou aí a extinção.
Jornal PÚBLICO (2017)

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial do Cervus elaphus na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO