Nome Científico: Anguilla anguilla (Linnaeus, 1758)

Nome Comum: Enguia-europeia, Eiró, Meixão, Angula

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Actinopterygii
Ordem Anguilliformes
Família Anguillidae
Género Anguilla
Espécie A. anguilla

Sinonímias: Angill angill, Anguilla acutirostris, A. aegyptiaca, A. altirostris, A. ancidda, A. bibroni, A. brevirostris, A. callensis, A. canariensis, A. capitone, A. cloacina, A. cuvieri, A. eurystoma, A. fluviatilis, A. hibernica, A. kieneri, A. latirostris, A. linnei, A. marginata, A. marina, A. mediorostris, A. melanochir, A. microptera, A. migratoria, A. morena, A. nilotica, A. oblongirostris, A. platycephala, A. platyrhynchus, A. savignyi, A. septembrina, A. vulgaris, Leptocephalus brevirostris, Muraena anguilla, M. oxyrhina, M. platyrhina

Estatuto de Conservação: EN - Em Perigo

Trata-se de uma espécie eurialina e catádroma (migra do rio para desovar no mar). O corpo é alongado, cilíndrico, serpentiforme e encontra-se coberto de muco. A maxila inferior ultrapassa ligeiramente a superior (boca proeminente). Dentes pequenos, dispostos em várias séries sobre as maxilas e o vómer (palato). Escamas muito pequenas, imperceptíveis a olho nu. As barbatanas peitorais são bem desenvolvidas. A barbatana dorsal tem origem muito atrás das peitorais. As barbatanas dorsal, caudal e anal, encontram-se unidas; as barbatanas pélvicas estão ausentes. O comprimento dos machos varia entre os 30 e os 40 cm; o comprimento das fêmeas varia entre os 20 e os 80 cm (podendo atingir os 150 cm, máx.). Os adultos têm o dorso verde-acastanhado e o ventre verde-amarelado (enguias douradas). Com a aproximação da maturidade sexual, a coloração altera-se para negro e prateado (enguias prateadas). Alimenta-se de algas, crustáceos, larvas de insectos, anelídeos e peixes.

Nota: Espécie de elevado interesse comercial.

Embora possa colonizar uma grande variedade de habitats e todos os tipos de substrato (zonas marinhas costeiras, estuários, lagoas, rios e lagos), tem preferência pelo fundo dos rios (águas oxigenadas) e dos estuários. Espécie de actividade essencialmente nocturna, esconde-se em buracos durante o dia. Os machos predominam nos estuários e as fêmeas na parte superior dos cursos de água.

Distribui-se pelo oceano Atlântico, desde o norte da Escandinávia e Islândia até Marrocos. Ocorre também no mar Mediterrâneo e no mar Negro. Em Portugal continental ocorre em todas as bacias hidrográficas (desde o rio Minho ao rio Guadiana). Nos arquipélagos dos Açores e da Madeira ocorre essencialmente nas águas costeiras.

Onde se pode encontrar:

Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana




> Redução do habitat disponível nas águas doces (construção de açudes e barragens sem passagem para peixes)
> Sobrepesca de juvenis (meixão, angula)
> Alteração do regime natural de caudais
> Poluição dos rios
> Extracção de inertes
> Disseminação de doenças (nemátode parasita Anguillicola crassus).

> Uniformizar a legislação da pesca nas zonas estuarinas e de água doce
> Fiscalização eficaz sobre a pesca aos juvenis (meixão, angula)
> Promoção de estudos detalhados sobre a dinâmica populacional e bioecologia da espécie
> Desenvolvimento de um plano de acção nacional para a conservação da espécie (um plano de protecção para cada bacia hidrográfica)
> Construção de passagens para peixes nas barragens e açudes
> Gestão dos caudais lançados pelas barragens (minimizar os efeitos negativos da regularização)
> Criação de legislação apropriada com as épocas de defeso, intensificação da fiscalização, campanhas de sensibilização de pescadores
> Pagamento de indemnizações para pescadores que compense as quebras de rendimentos resultantes da adaptação das artes de pesca a uma lei conservacionista
> Controlo da poluição
> Criação de zonas de pesca profissional (ordenar a actividade)

Ligações Externas

Livro Vermelho dos Vertrebados de Portugal (2005)

Carta Piscícola Nacional (versão 09/2007)
Ficha da enguia

Ecology and trophic dynamics of the European eel, Anguilla anguilla (L.)

Comparative ecology of the European eel, Anguilla anguilla (L., 1758), in a large Iberian river

Factors determining length distribution and abundance of the European eel, Anguilla anguilla, in the River Mondego (Portugal)

Autor: Jorge Araújo