Nome Científico: Rhinechis scalaris (Schinz, 1822)

Nome Comum: Cobra-de-escada, Riscadinha

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Reptilia
Ordem Squamata
Família Colubridae
Género Rhinechis
Espécie R. scalaris

Sinonímias: Coluber scalaris, Elaphe scalaris

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se de uma serpente de médio-grande porte, que pode atingir ou mesmo ultrapassar os 160 cm de comprimento total. A cabeça é bem diferenciada e termina num focinho pontiagudo; a mandíbula superior é proeminente. Os olhos têm a íris acastanhada e pupilas redondas (típicas das cobras e diferenciadas das pupilas das víboras, que são verticais). O corpo esguio e alongado tem um aspecto liso e reluzente. Nos indivíduos adultos o padrão dorsal é formado por duas linhas escuras longitudinais e paralelas, que percorrem todo o dorso, sobre um fundo pardo-acastanhado. O ventre é mais claro, sendo acinzentado ou amarelado. Os juvenis exibem um padrão dorsal diferente: apresentam riscas escuras e espaçadas entre as duas linhas paralelas longitudinais, formando um desenho que se assemelha a uma escada, habitualmente sobre um fundo amarelado; exibem ainda pequenas manchas negras dispersas e irregulares ao longo dos flancos.

Ocorre preferencialmente em habitats mediterrânicos com alguma vegetação, tais como carvalhais, pinhais, matagais, montados, áreas agrícolas ou habitats ribeirinhos, em zonas secas e com boa exposição solar. Também é possível encontrá-la em muros de pedra, ruínas ou construções abandonadas.

Encontra-se distribuída de uma forma regular por todo o território de Portugal continental, principalmente até aos 800 m de altitude.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Natural de Montesinho





> Destruição/alteração do habitat (e.g. perda de cobertura vegetal, agricultura intensiva)
> Destruição/perturbação de indivíduos (e.g. perseguição humana)
> Atropelamentos

> Preservação/protecção do habitat
> Campanhas de sensibilização e educação ambiental

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Rhinechis scalaris na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO