Nome Científico: Chalcides bedriagai (Boscá, 1880)

Nome Comum: Cobra-de-pernas-pentadáctila, Escinco-ibérico

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Reptilia
Ordem Squamata
Família Scincidae
Género Chalcides
Espécie C. bedriagai

Sinonímias: Chalcides bedriagai albaredae, C. bedriagai bedriagai, C. bedriagai cobosi, C. bedriagai pistaciae, C. pistaciae, Gongylus ocellatus bedriagai

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se de um lagarto de corpo cilíndrico e volumoso, serpentiforme, alongado (podendo atingir os 16,5 cm de comprimento total). A cabeça é cónica e, assim como a cauda, pouco diferenciada do corpo. Os membros são curtos, possuindo cinco dedos em cada pata. O corpo, coberto de escamas largas, tem uma aparência lisa e vítrea, com reflexos metálicos. Geralmente, a zona dorsal varia entre o acastanhado, o esverdeado (cor-de-azeitona) e o acinzentado. Apresenta uma banda mais escura nos flancos, podendo também existir uma linha vertebral visível; a zona ventral é mais clara.

Encontra-se associada a áreas secas e abertas, com solo arenoso ou pedregoso e vegetação esparsa, podendo ocorrer em habitats pouco modificados, desde florestas abertas, terrenos agrícolas ou matos mediterrânicos, a dunas costeiras, falésias e praias de areia. Refugia-se debaixo de pedras, raízes, arbustos ou na vegetação seca.

Endemismo ibérico que ocorre em Portugal continental de uma forma muito dispersa, em núcleos populacionais isolados, desde o nível do mar até aos 1200 m de altitude (serras da Peneda e do Gerês). Distribui-se pelo norte, centro e sul, encontrando-se praticamente ausente do litoral norte e centro do território, assim como em locais de altitude reduzida (e.g. serra de Montesinho). A sul destaca-se a sua presença na Serra de São Mamede, assim como no sudoeste alentejano e na costa vicentina.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede




> Destruição/alteração do habitat
> Repovoamentos florestais
> Agricultura intensiva
> Incêndios
> Aumento das populações de Javali

> Preservação/protecção do habitat
> Manutenção das práticas agrícolas tradicionais
> Medidas de prevenção de incêndios

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Chalcides bedriagai na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO