Nome Científico: Coronella girondica (Daudin, 1803)

Nome Comum: Cobra-lisa-bordalesa, Cobra-lisa-meridional

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Reptilia
Ordem Squamata
Família Colubridae
Género Coronella
Espécie C. girondica

Sinonímias: Coluber girondicus, C. meridionalis, C. riccioli, C. rubens, Natrix meridionalis, Psammophis girondicus, Zacholus girondicus, Zamenis riccioli

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Cobra de pequeno porte, que geralmente não ultrapassa os 50 cm de comprimento total. A cabeça é relativamente pequena e caracterizada pela presença de duas manchas escuras: uma banda na zona frontal, em forma de uma máscara que atravessa os olhos e se prolonga pelas faces, até pescoço; a segunda na zona dorsal, de maiores dimensões e em forma de U. O dorso e os flancos variam entre o pardo e o cinzento, exibindo um padrão de pequenas manchas mais escuras dispostas em fila ao longo do corpo. O ventre é mais claro e exibe um padrão axadrezado formado por pequenas manchas pretas.

Ocorre numa ampla diversidade de habitats, tais como florestas, matos e matagais mediterrânicos, prados secos, montados e campos agrícolas, tendo preferência por zonas quentes, secas e rochosas. Tem hábitos crepusculares e nocturnos.

Em Portugal continental ocorre em quase todo o território, embora de forma descontínua, formando núcleos isolados. Parece ser mais escassa no Alentejo.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Natural de Montesinho




> Destruição/alteração do habitat (e.g. alteração do uso dos solos, pressão agrícola)
> Destruição/perturbação de indivíduos (e.g. perseguição humana)
> Atropelamentos
> Redução do nº de presas
> Incêndios

> Preservação/protecção do habitat
> Campanhas de sensibilização e educação ambiental
> Promoção e intensificação de estudos sobre a biologia e ecologia da espécie
> Prevenção de incêndios

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Coronella girondica na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO