Nome Científico: Coronella austriaca Laurenti, 1768

Nome Comum: Cobra-lisa-europeia

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Reptilia
Ordem Squamata
Família Colubridae
Género Coronella
Espécie C. austriaca

Sinonímias: Coluber austriacus, C. coronella, Zacholus austriacus

Estatuto de Conservação: VU - Vunerável

Trata-se de uma pequena cobra de coloração parda ou acinzentada, caracterizada por exibir um padrão dorsal formado por manchas escuras distribuídas longitudinalmente, inicialmente num axadrezado que pode evoluir para uma espécie de ziguezague à medida que se prolonga pelo dorso. A zona ventral é pintalgada de manchas esbranquiçadas. A cabeça é pequena e termina num focinho proeminente; na zona frontal exibe uma banda mais escura que parte das narinas, atravessa os olhos e se prolonga pelas faces; na zona dorsal (coroa) destaca-se outra mancha escura, maior que a primeira e em forma de U.

Ocorre em zonas montanhosas frescas e húmidas, preferencialmente nas áreas rochosas dos matos e nas orlas dos bosques e florestas.

Em Portugal continental ocorre de um modo muito fragmentado, em núcleos isolados dispersos pelas regiões montanhosas do centro e norte do território (Minho, Trás-os-Montes, Douro Litoral e Beiras). Também ocorre em diversas serras a norte do rio Tejo. Na Serra da Gardunha encontram-se os registos mais meridionais. O Parque Nacional da Peneda-Gerês e o Parque Natural da Serra da Estrela são as zonas onde se encontra mais referenciada.

Onde se pode encontrar:

Parque Nacional da Peneda-Gerês




> Destruição/alteração/degradação do habitat (e.g. urbanização, práticas agrícolas)
> Atropelamentos
> Destruição/perturbação de indivíduos (e.g. perseguição directa)
> Isolamento geográfico
> Incêndios

> Preservação/protecção do habitat (e.g. conservação das áreas florestais autóctones, ordenamento florestal)
> Campanhas de sensibilização e educação ambiental
> Promoção de estudos acerca da biologia e ecologia da espécie
> Investigação acerca da área de distribuição e dos efectivos populacionais
> Prevenção de incêndios florestais

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Livro Vermelho dos Vertrebados de Portugal (2005)
Disponível no portal do ICNF

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Coronella austriaca na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO