Nome Científico: Podarcis carbonelli Pérez-Mellado, 1981

Nome Comum: Lagartixa-de-Carbonell

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Reptilia
Ordem Squamata
Família Lacertidae
Género Podarcis
Espécie P. carbonelli

Sinonímias: Podarcis bocagei carbonelli, Podarcis carbonellae

Estatuto de Conservação: VU - Vunerável

Trata-se de uma lagartixa com cerca de 6 cm comprimento (cabeça + corpo), podendo ultrapassar o dobro desse tamanho se contabilizado o comprimento da cauda. A cabeça é curta e o focinho é abaulado. A zona dorsal apresenta uma coloração parda ou acinzentada, por vezes esverdeada, sob a qual assenta um padrão reticulado de pintas mais escuras; os flancos exibem uma coloração verde-alface e um padrão semelhante, habitualmente com ocelos azuis no caso dos machos. A zona ventral é notoriamente mais clara e pintalgada por pequenas manchas.

Ocorre em zona de montanha, preferencialmente em matos baixos (e.g. urzais, sargaçais), bosques e florestas de carvalho (e.g. Quercus pyrenaica, Q. robur). No litoral pode ser encontrada nas dunas de áreas costeiras, preferencialmente em áreas relativamente abertas e com vegetação arbustiva dispersa.

Espécie endémica da Península Ibérica que em Portugal continental ocorre, sobretudo, no centro e oeste do território, nomeadamente no Douro Litoral e Beira Litoral (distrito de Aveiro) e em algumas áreas montanhosas de fácies atlântica da Beira Alta e da Beira Baixa. A sul do Rio Mondego está presente em enclaves de fácies atlântica, orientados a NW, ao longo das dunas arborizadas da costa ocidental portuguesa, até Sagres. Ocorre desde o nível do mar até aos 1600 m de altitude (Serra da Estrela). Também pode ser encontrada no Arquipélago das Berlengas.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina


> Perda/degradação/fragmentação do habitat (e.g. plantação das monoculturas florestais, degradação e destruição das dunas litorais)
> Destruição/perturbação de indivíduos
> Predação
> Pressão turística
> Incêndios
> Alterações climáticas globais

> Preservação/protecção do habitat (e.g. conservação dos habitats costeiros no sul e centro de Portugal, ordenamento urbanístico da orla costeira, ordenamento florestal)
> Aumento da área florestal de caducifólias nos núcleos de montanha
> Prevenção de incêndios

Ligações Externas

Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal (Loureiro et al., 2008)
Disponível no portal do ICNF

Livro Vermelho dos Vertrebados de Portugal (2005)
Disponível no portal do ICNF

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Podarcis carbonelli Pérez-Mellado 1981. In: Reptiles, 2 edición, revisada y aumentada. Salvador A (Coordinador). Fauna lbérica vol. 10. Ramos et al. (Eds.). Museo Nacional de Ciências Naturales. CSIC. Madrid: 527-537.

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Podarcis carbonelli na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO