Glossário

  • : Perianto com as tépalas mais ou menos aderentes entre si.
  • Abaxial: O lado mais afastado ou oposto ao eixo. Ex.: a página inferior de uma folha.
  • Abcisão: A perda normal, em geral por queda, de uma estrutura ou órgão de uma planta que está maduro ou envelhecido. Ex.: a queda de um fruto maduro ou de uma folha. (= Abscisão)
  • Abortar: Abandonar o desenvolvimento de uma estrutura de um órgão.
  • Abortivo: Que se desenvolve imperfeitamente ou incompletamente.
  • Abrupto: Que termina de repente, sem atenuar progressivamente.
  • Acapelado: Em forma de capelo ou de capuz.
  • Acaule: Diz-se de uma planta cujo caule é muito reduzido e cujas folhas parecem inseridas na raiz.
  • Acaulescente: Diz-se de uma planta sem caule aparente, ou pelo menos, não visível acima do solo. Ex.: Algumas espécies de Agave, Oxális e Attalea.
  • Acerosa: Diz-se das folhas quando são estreitas, rígidas, agudas, semelhantes a agulhas.
  • Acetinado: Com o brilho do cetim.
  • Acíclico: Quando os elementos da flor estão dispostos em espiral.
  • Acícula: Acúleo muito delgado, rígido e picante, como uma agulha fina.
  • Aciculado: Que tem acículas
  • Aclamídea: Designação atribuída às flores desprovidas de cálice e de corola, isto é, sem perianto. O mesmo que “flor nua”.
  • Aclavado: Em forma de clava ou maça (estreito na base e alargado sucessivamente em todos os sentidos para a parte superior arredondada).
  • Aclavelada: Corola dialipétala com cinco pétalas mas em que as unhas estão escondidas no cálice e os limbos formam um ângulo recto com as unhas (Ex: Silene).
  • Acrescente: Que cresce em tamanho com a idade. Ex.: O cálice que continua a crescer mesmo após a queda da corola em Physalis peruviana.
  • Acrópeto: Diz-se de uma sucessão de eventos que progride da base para o ápice da planta. Ex.: A abertura das flores da base para o ápice.
  • Actinomórfico: Que tem, pelo menos, dois planos de simetria.
  • Aculeado: Que tem acúleos.
  • Acúleo: Produção rígida e pontiaguda da casca, sem ligação com os feixes libero-lenhosos, e por isso fáceis de arrancar.
  • Acumbentes: Diz-se dos cotilédones que se encontram um ao outro.
  • Acuminado: Estreito em ponta comprida e aguda.
  • Acunheado: Em forma de cunha, isto é, triangular e com a parte mais estreita no ponto de inserção.
  • Adaxial: Diz-se da parte ou lado de um órgão que está mais próximo do eixo. Ex.: a página superior das folhas.
  • Adelfo: Palavra de origem grega que se usa para indicar a união dos estames pelos filetes. Ex: monadelfos, diadelfos.
  • Adnado: Partes distintas que crescem juntas.
  • Adunado: Aderente dois ou mais, de modo a constituírem um só. Ex.: Folhas adunadas: folhas opostas aderentes pela base.
  • Adventícia: Diz-se da raiz ou raízes que se originam de outras estruturas que não a radícula; pode ser a partir do hipocótilo, do colo, do colmo, de caules, de ramos ou de bolbos.
  • Aérea: Diz-se da raiz de uma planta epífita (que vive sobre outras plantas). As raízes partem do caule e dirigem-se verticalmente para o solo, podendo atingir muitos metros.
  • Áfilo: Que é ou parece desprovido de folhas.
  • Afunilado: Em forma de funil ou cone invertido.
  • Aglomerado: Que se apresentam juntos, em grande número, formando grupos subesféricos mas não se fundindo.
  • Agudo: Diz-se de qualquer órgão laminar, como folhas, brácteas, sépalas e pétalas, cujas margens confluem no ápice segundo um ângulo agudo. Aplica-se também às formas sólidas que terminam em ponta.
  • Alabardino: Diz-se dos órgão laminares que têm a forma de ferro de alabarda, isto é, que terminam em ponta e têm na base duas projecções laterais (aurículas) divergentes ou perpendiculares à nervura mediana (= hastado).
  • Alado: Provido de asa(s).
  • Albúmen: Tecido de reserva (triploide) formado nos saco embrionário após a dupla fecundação nas angiospérmicas, permanecendo ou não, na semente.
  • Alga: Organismo fotossintético de natureza unicelular ou multicelular. Os seus órgãos de reprodução sexuada são unicelulares.
  • Alogamia: Fecundação de uma flor pelo pólen de outro indivíduo do mesmo ou de taxon diferente.
  • Alternas: Diz-se das folhas quando estas se dispõem uma por nó; normalmente, a folga seguinte surge numa posição diferente da anterior, o que evita o sombreamento completo das folhas mais antigas pelas mais novas.
  • Alternipétalo: Alternado com as pétalas. Diz-se dos estames ou estaminódios que se inserem em pontos fronteiros ao intervalo entre duas pétalas consecutivas.
  • Alternos: Inseridos um a um ao longo do eixo.
  • Amêndoa: A parte da semente envolvida pelo tegumento e que é formada ou só pelo embrião, ou por este acompanhado de tecidos nutritivos.
  • Amentilho: Espiga de flores unissexuais, nuas ou com perianto sepaloide, e cujo eixo é articulado na base, desprendendo-se, por isso, inteira.
  • Amento: = amentilho.
  • Amigdaloide: Semelhante a uma amêndoa.
  • Amiláceo: Que produz ou possui amido.
  • Amplexicaule: Orgãos cuja base envolve particularmente o eixo. Ex.: folhas sésseis e amplexicaules, estípulas ou brácteas amplexicaules.
  • Anastomosadas: Reunidas entre si.
  • Anátropo: Diz-se do óvulo que sobre uma curvatura de 180º em relação à sua base. O encurvamento não afecta o saco embrionário; a calaza fica oposta ao micrópilo, o micrópilo dirigido para a placenta e o funículo funde-se com o integumento, formadno a rafe. É o óvulo mais comum nas Angiospérmicas. Opõe-se ao óvulo ortóptero.
  • Androceu: Conjunto dos órgãos masculinos - os estames - de uma flor.
  • Andróforo: Prolongamento do eixo floral, situado dentro do perianto, que suporta os estames que se situam acima deste.
  • Andrógina: Flor que possui androceu e gineceu. O mesmo que hermafrodita.
  • Androgínica: Diz-se de uma inflorescência com flores masculinas e femininas.
  • Androginóforo: Coluna que prolonga o eixo floral, situada dentro da corola, que sustenta o androceu e gineceu, acima do nível de inserção dos elementos do perianto.
  • Anemocórico: Que é disseminado pelo vento.
  • Anemófilo: Polinizado por intermédio do vento.
  • Anfítropo: Diz-se do óvulo e do saco embrionário que sofrem uma curvatura em relação à sua base, em que o saco embrionário adquire a forma de uma ferradura; a calaza não fica oposta ao micrópilo.
  • Angiospérmica: Planta cujas sementes se desenvolvem no interior de ovários, os quais por maturação originam frutos.
  • Antela: Inflorescência na forma de umbela com raios distendidos horizontalmente, sendo comumente chamadas de antelas as umbelas das ciperáceas.
  • Antera: Parte superior e dilatada do estame, responsável pela formação do pólen. Constituída, normalmente, por quatro esporângios (microsporângios) fundidos a um tecido central designado conectivo.
  • Antera conata: Diz-se das anteras que se encontram fundidas entre si.
  • Antera estéril: Diz-se das anteras desprovidas de grãos de pólen.
  • Anterídeo: Gametângio masculino. De natureza unicelular nas algas e pluricelular, revestido por uma camada de células estéreis, nos briófitos e outras plantas sem flor.
  • Anterífero: Que tem antera.
  • Antese: Momento em que abre o botão floral. Período desde a abertura do botão floral até a que ela murche. Período de fecundação.
  • Antóforo: Entrenó floral desenvolvido entre o cálice e a corola; suporta, primeiro a corola, os estames e o ovário e, mais tarde, o fruto.
  • Antrorso: Voltado para diante ou para cima.
  • Anual: Que vive ou se realiza durante um ciclo vegetativo ou durante um ano.
  • Apedada: Diz-se da folha que apresenta duas nervuras divergentes saídas do pecíolo, cada uma das quais se ramifica em ramos de ordem sucessiva, solitários, e todos para o mesmo lado.
  • Apedapartida: Diz-se da folha apedada e com o limbo dividido até às mais de metade.
  • Apedatissepta: Diz-se da folha apedada e com o limbo profundamente dividido até às nervuras.
  • Apêndice: Prolongamento de diversa natureza que se encontra na base ou no cimo de certos órgãos. (= apendículo)
  • Apendiculado: Guarnecido de um ou mais apêndices.
  • Aperiantada: O mesmo que aclamídea.
  • Apétala: Diz-se da flor desprovida de corola.
  • Apical: Que está no cimo; que pertence ao ápice de qualquer órgão.
  • Ápice: Ponto terminal ou vértice de qualquer órgão.
  • Apiculado: Designação atribuída a um órgão ou elemento quando este termina em pequena ponta aguda e pouco consistente.
  • Apiculado: Designação atribuída a um órgão ou elemento quando este termina em pequena ponta aguda e pouco consistente.
  • Apículo: Ponta curta e delgada.
  • Aplicado: Encostado em todo o comprimento, sem aderência.
  • Apocárpico: Gineceu ou fruto que possui vários carpelos independentes uns dos outros (não unidos).
  • Apófise: Protuberância piramidal e endurecida presentes nas escamas dosa estróbilos de certas coníferas.
  • Apogâmico: Desenvolvimento embrionário de um esporófito sem fecundação.
  • Aquática: Diz-se da raiz que se forma abaixo da superfície da água, que serve para respiração e flutuação da planta.
  • Aquénio: Fruto seco, indeiscente, monospérmico, formado por um ou dois carpelos, porém unilocular com uma só semente. A casca é geralmente dura, lisa ou dotada de excrescências em forma de espinhos, farpas ou pelos. Pode ocorrer em vários grupos de Angiospérmicas, como Cyperaceae e Amaranthaceae.
  • Aquilhado: Com uma saliência longitudinal que lembra, mais ou menos, a quilha de um barco.
  • Arbóreo: Semelhante ou pertencente a árvore.
  • Arborescente: Com porte que se aproxima ao de árvore.
  • Arbustivo: Com porte de arbusto.
  • Arbusto: Planta lenhosa de altura inferior a 5 m, ordinariamente vestida de ramos desde a base.
  • Arenícola: Que vive em (ou requer) terreno arenoso.
  • Argênteo: Com brilho semelhante ao da prata.
  • Arilo: Invólucro acessório de certas sementes, não aderente, originado pela parte superior do funículo ou cordão que liga a semente ao ovário.
  • Arista: Prolongamento rígido e filiforme ou delgado, que termina ou acompanha certos órgãos.
  • Aristado: Com arista.
  • Arquegónio: Gametângio feminino de natureza multicelular que produz e contém uma só oosfera. Existe nos briófitos e em algumas plantas vasculares.
  • Arquiclamídea: Quando a corola é constituída por pétalas livres.
  • Articulação: Juntura por onde partes contíguas se separam facilmente, em dada época, sem ruptura.
  • Artículo: Porção compreendida entre duas articulações.
  • Árvore: Planta lenhosa com altura superior a 5 m quando em pleno desenvolvimento, geralmente com o tronco despido de ramos na parte inferior.
  • Asa: Expansão foliácea ou membranosa de certos órgãos. Ex.: Asas da corola papilionácea: as duas pétalas laterais; asas do cálice das Poligaláceas: as duas sépalas laterais, maiores e petaloides.
  • Ascendente: Prostrado ou mais ou menos horizontal na base e, depois, erecto na parte restante.
  • Ascídia: Órgão de origem foliar, em forma de urna ou jarro, em cujo interior existem glândulas secretoras de glândulas proteolíticas, que digerem os insectos que penetram no seu interior.
  • Áspero: Coberto de pequenas saliências ou pelos curtos e rígidos que tornam a superfície desagradável ao tacto (= escabro).
  • Assalveada: Diz-se da corola com tubo comprido e limbo plano, circular (inteiro ou mais ou menos recortado), semelhante a uma salva ou a um prato.
  • Assépala: Que não possui sépalas.
  • Assovelado: Terminado em ponta aguda, como a da sovela.
  • Asteriforme: Em forma de estrela.
  • Atenuado: Adelgaçado insensivelmente.
  • Aurícula: Prolongamento mais ou menos semelhante a uma pequena orelha. Ex.: Aurículas da folha: os dois prolongamentos auriculares do limbo.
  • Auriculiforme: Com forma de aurícula.
  • Autóctone: Significa “nativo” ou “indígena”. Emprega-se para designar espécies que são próprias de uma determinada região.
  • Autogamia: Fecundação de uma flor hermafrodita pelo seu próprio pólen, ou pelo de flores do mesmo indivíduo.
  • Autotrófico: Organismo capaz de sintetizar as suas moléculas orgânicas a partir de matéria inorgânica.
  • Aveludado: Coberto de pelos curtos, densos, levantados, com o aspecto de veludo.
  • Axial: Diz-se da placentação de um ovário di/policarpelar sincárpico, cujos óvulos se inserem nos ângulos internos formados pelos septos entre si.
  • Axila: Vértice do ângulo formado entre um eixo e o seu apêndice. Ex.: Axila da folha: vértice do ângulo formado entre o caule ou o ramo e a folha.
  • Axilar: Situado na axila. Ex.: Flores axilares: situadas na axila da folha; placentação axilar: com os óvulos inseridos próximo do eixo do ovário.
  • Bacáceo: Fruto bacoide, indeiscente, originado de um ovário ínfero, com mesocarpo carnoso e endocarpo membranáceo, com o espaço central dividido ou não por septos, com uma semente. Ex.: abacate.
  • Bacídio: Fruto bacoide originário de um ovário ínfero, com epicarpo fino e mesocarpo carnoso ou sucoso, uni ou multisseminado, sem uma nítida distinção entre os lóculos.
  • Baciforme: Em forma de baga.
  • Bacoide(s): Frutos indeiscentes, carnosos, com pericarpo de pouco a muito espessado, e endocarpo constituído apenas pela epiderme interna, não diferenciada, mas não lenhosa, escleirificada ou coriácea; geralmente com um grande número de sementes. O fruto bacoide pode ser anfissarcídio, bacáceo, bacídio, baláustio, campomanesoideo, hesperídio, melanídio, solanídio e teofrastídio.
  • Baga: Fruto carnoso, indeiscente, com o endocarpo mais ou menos ténue ou membranoso.
  • Bainha: A porção de um órgão, o órgão ou a reunião de órgãos que envolve mais ou menos longamente, outro Ex.: A bainha da folha: a porção da folha que envolve o caule.
  • Balaústia: Fruto sincárpico proveniente de ovário ínfero, com o pericarpo coriáceo e o interior dividido por lamelas delgadas, cheio de sementes muito apertadas umas de encontro às outras, com episperma sucoso. É o fruto da romãzeira (Punica granatum).
  • Basifixa: Diz-se da antera que está presa pela base ao filete.
  • Basípeto: Diz-se de uma sucessão de eventos que progride do ápice para a base da planta.
  • Basófilas: Comunidades vegetais ou plantas que se desenvolvem em meios de reacção básica.
  • Betulídeo: Designação dada aos frutos nucoides originados de um ovário ínfero e provido de alas derivadas de expansões do hipanto. O pericarpo pode ser lenhoso ou coriáceo, com duas ou mais alas. Ex.: como nos géneros Combretum, Terminalia e Thiloa (Combretaceae) e Pteropegon (Curcubitaceae).
  • Bífido: Dividido em duas partes mais ou menos a meio (= bifendido).
  • Biforme: Que tem duas formas (= dimorfo).
  • Bifurcado: Que tem dois ramos partindo do mesmo ponto.
  • Biogeografia: ciência que estuda a distribuição geográfica dos seres vivos ao longo do tempo, procurando entender padrões de organização espacial e os processos que resultaram em tais padrões.
  • Bípara: Com dois ramos opostos saídos sob a flor terminal de cada eixo.
  • Bipenatifendida: Folha penatifendida cujas divisões são, por sua vez, fendidas.
  • Bipenatipartida: Folha penatifendida cujas divisões são, por sua vez, partidas.
  • Bipenatisecto: Folha penatissecta com os segmentos divididos, por seu turno, até à nervura.
  • Bipinulada: = pinulada.
  • Bissexual: = hermafrodita.
  • Biternada: A folha composta ternada em que cada um dos três pecíolos secundários possui três folíolos.
  • Bolbilhífero: Que tem ou produz bolbilhos.
  • Bolbo: Caule muito curto, em geral subterrâneo, provido de folhas carnudas, ricas em reservas (escamas), ora estreitas e imbrincadas (bolbo escamoso), ora muito largas envolvendo-se circularmente (bolbo entunicado), ficando então, de ordinário, as externas delgadas e papiráceas ou fibrosas; base tuberculosa do caule, rodeada apenas por escamas papiráceas ou fibrosas (bolbo sólido).
  • Bolbosa: Que produz bolbo
  • Bolhosa: Diz-se da folha que apresenta o parênquima levantado em forma de bolhas, ou ampolas.
  • Botão floral: Gomo que produz flores.
  • Bráctea: Folha modificada, na forma, nas dimensões, na consistência ou na cor, situada próximo da flor, ou de cuja axila sai a flor.
  • Bracteado: Que tem bráctea ou brácteas.
  • Brácteas involucrais: Folhas ou escamas do capítulo modificadas. As brácteas actuam como sépalas protegendo o capítulo jovem ao longo de seu desenvolvimento. As brácteas geralmente são livres entre si, mas em vários grupos elas são fundidas.
  • Bracteiforme: Semelhante a brácteas ou da natureza das brácteas.
  • Bractéola: Bráctea de segunda ordem, inserida no pedicelos ou junto à flor séssil.
  • Braquiblasto: Ramo curto sobre o qual apenas se inserem folhas ou flores.
  • Bursículo: Pequena bolsa onde fica incluído cada renitáculo, ou onde ficam incluídos os dois renitáculos, na flor das orquidáceas.
  • Cacho: Inflorescência agrupada, com o eixo mais ou menos alongado e as flores inseridas lateralmente sobre pedicelos, maiores ou menores, simples (cacho simples) ou ramosos (cacho composto).
  • Caducifólio: Árvore que, nas florestas temperadas, possui folhas que todos os anos caem no Outono, na sua totalidade, renovando-se na Primavera.
  • Caduco: Que cai prematuramente.
  • Calaza: Parte dos óvulos de Angiospérmicas por onde passam os vasos que conduzem a seiva do funículo à nucela.
  • Calcícola: Que prefere ou habita em solos calcários, evitando os siliciosos.
  • Calcífuga: Que não cresce em solos calcários.
  • Cálice: Conjunto formado pelas sépalas de uma flor. Geralmente é verde e menor que a corola.
  • Caliciforme: Em forma de cálice.
  • Caliculiforme: Com forma de calículo ou epicálice.
  • Calículo: Presença de uma série mais externa de brácteas diferenciadas. O mesmo que invólucro caliculado (ver também epicálice).
  • Caliptra: Estrutura presente nos briófitos e que cobre o esporófito em desenvolvimento. A sua natureza é gametofítica e é formada por células do ventre do arquegónio.
  • Calosidade: Endurecimento semelhante a um calo.
  • Caloso: Que tem calosidades. Ex.: folhas caloso-marginadas: que têm as margens endurecidas.
  • Caméfito: Categoria de plantas essencialmente lenhosas com as gemas de renovo muito próximas do solo (altura inferior a 25 cm acima do solo); distinguem-se: caméfitos frutescentes (arbustivos, mais ou menos erectos); caméfitos herbáceos (ervas, mais próximos do solo).
  • Campanulada: Corola gamopétala tubular mas alargando-se da base para o topo, em forma de campânula.
  • Campanulado: Em forma de campânula ou de sino.
  • Campilotrópico: Diz-se do óvulo, quando este é curvo, em forma de rim e em que curvatura não afecta o saco polínico e a calaza não fica oposta ao micrópilo.
  • Canelado: Com sulcos longitudinais ou caneluras.
  • Capilar: Delgado como um cabelo.
  • Capitado: I - Com a forma de cabeça; II - Reunido em inflorescência (capítulo ou glomérulo) semelhante a uma cabeça.
  • Capituliforme: Em forma de capítulo.
  • Capítulo: Um tipo condensado de inflorescência indeterminada, com maturação acrópeta ou centrípeta, na qual todas as flores são sésseis e estão unidas ao eixo da inflorescência, geralmente envolvidas por um invólucro de brácteas protegendo a periferia.
  • Capítulo disciforme: Contém pelo menos dois tipos de flores tubulosas do disco (por exemplo, as mais externas são tubulosas-filiformes e pistiladas, enquanto as flores do centro são tubulosas, bissexuais ou funcionalmente estaminadas). Esses capítulos são heterogamos e as flores do raio estão ausentes.
  • Capítulo discoide: Contém somente um tipo de flor (mesma forma de corola e arranjo sexual). Ex.: capítulos com todas as flores tubulosas, liguladas ou bilabiadas. Esses capítulos são homogamos e as flores do raio estão ausentes.
  • Capítulo dobrado: Com as corolas tubulosas, todas ou em parte, transformadas em corolas liguladas.
  • Capítulo heterogâmico: Contém flores com arranjos sexuais diversos, geralmente flores pistiladas e bissexuais.
  • Capítulo homogâmico: Contém flores com arranjo sexual único, geralmente as flores são perfeitas, isto é, bissexuais e férteis.
  • Capítulo radiado: Composto por flores marginais, zoomórficas, geralmente vistosas, que radiam distintamente as flores do disco. Capítulos radiados são geralmente heterogâmicos, com flores do raio pistiladas, contudo, podem ser homógamos quando as flores do raio são neutras (sem estames ou estiletes) ou bissexuais.
  • Capítulo único: Capítulo único no ápice do pedúnculo.
  • Cápsula: Fruto seco, proveniente de dois ou mais carpelos aderentes, e que se abre na maturação, ou por poros (cápsula poricida), ou por uma fenda transversal (pixídio), ou por fendas longitudinais completas (cápsula valvar), ou por fendas longitudinais apenas no cimo (cápsula deiscente por dentes).
  • Capsular: Que tem a forma ou a natureza de cápsula.
  • Carena: I - O mesmo que quilha; II - saliência longitudinal em gume ao longo da face de um órgão.
  • Cariopse: Fruto seco indeiscente com uma semente inseparável, intimamente única ao pericarpo.
  • Cariopse: Fruto seco indeiscente com uma semente inseparável, intimamente única ao pericarpo.
  • Carnudo: Com a consistência da carne, isto é, firme, mais ou menos suculento e fácil de cortar, como certas raízes, folhas e frutos.
  • Caroço: Parte interna, endurecida, do pericarpo, que envolve a semente, nas drupas.
  • Carpelo: Folha floral que produz óvulos.
  • Carpóforo: Parte do receptáculo que suporta os carpelos livres de um gineceu.
  • Carpogónio: Gametângio feminino das algas vermelhas (Rodófitas).
  • Carpósporo: Esporo produzidos no carpogónio.
  • Cartilagíneo: Duro, elástico, tenaz, semelhante a uma cartilagem.
  • Carúncula: Excrescência do tegumento da semente, junto ao micrópilo.
  • Casca: I - Parte externa dos troncos e das raízes das árvores e arbustos situada fora do câmbio libero-lenhoso e que é fácil de descascar; II - cobertura externa de frutos e sementes.
  • Catáfilo: Escama protectora de gema.
  • Caudículo: Parte atenuada da polidídia que a liga ao retináculo.
  • Caule: Parte do eixo da planta que produz e suporta as folhas.
  • Caulescente: Que tem caule bem evidente, bem desenvolvido.
  • Caulinar: Pertencente a caule (e.g. folhas caulinares: as que estão inseridas no caule).
  • Céfala: Que tem uma (monocéfala), duas (di...), poucas (oligo...) ou muitos (poli...) capítulos ou cabeças.
  • Celhas: Pelos que guarnecem a margem de um órgão.
  • Celheado: Com celhas.
  • Central livre: Diz-se da placentação em que os óvulos estão inseridos sobre uma coluna, no centro de um ovário unilocular..
  • Céspede: Moita formada pelos caules empilhados de uma planta multicaule.
  • Cespitosa: Diz-se de uma planta com muitos caules reunidos em pilha.
  • Chanfrado: Com um pequeno recorte na extremidade, ou chanfro.
  • Ciato (ou ciátio): Inflorescência das espécies do género Euphorbia, com flores unissexuais e nuas, rodeadas de um invólucro caliciforme, aparentando o conjunto uma flor hermafrodita.
  • Cigomórfica: O mesmo que zigomórfica.
  • Cimeira: Inflorescência com o eixo principal pouco desenvolvido em relação aos eixos laterais, e todos terminados por uma flor. Cimeira unípara, bípara e multípara: a que tem sob cada flor terminal um ramo, ou dois opostos ou mais de dois verticilados.
  • Cimeira bípara: Com dois ramos opostos sob cada flor terminal, assemelhando-se, aparentemente, a uma dicotomia (= dicásico).
  • Cimeira do aquénio: Expansão situada acima dos frutos de Compositae, Dipsacaceae, Valerianaceae etc., e resultante do limbo do cálice, que persiste.
  • Cimeira escorpioide: Cimeira unípara com as flores todas para o mesmo lado e que em nova se enrola como a cauda de um escorpião.
  • Cimeira estaminal: A que é formada pela união de partes petaloides do androceu, em Asclepiadaceaea.
  • Cimeira helicoidal: A cimeira unípara com os eixos formando-se todos para o mesmo lado (brácteas dispondo-se todas para o mesmo lado).
  • Cimeira multípara: Com mais de dois ramos subverticilados sob cada flor terminal, assemelhando-se, aparentemente, a uma umbela (= pleiocásio).
  • Cimeira unípara: Com um só ramo sob cada flor terminal (= monocásio).
  • Cimo: A parte superior.
  • Cimoso: Semelhante a cimeira.
  • Cipsela: Fruto sincárpico, unilocular e monospérmico, originado de ovário ínfero. As cipselas são frutos complexos, ou seja, apresentam o pericarpo lato sensu formado pelo pericarpo propriamente dito (células da parede ovariana) e por tecidos extracarpelares derivados do receptáculo. No bordo apical, pela modificação do cálice, pode for-mar-se uma estrutura denominada papus.
  • Circinada: Diz-se de folha que em nova se apresenta com a extremidade enrolada em forma de báculo.
  • Citrino: Amarelo, cor de limão.
  • Cladódio: Ramo com aspecto foliáceo (inerme ou espinescente).
  • Clava: Maça intumescida da base para o cimo.
  • Claviforme: Em forma de clava (= aclavado).
  • Cleistogâmico(a): Diz-se das flores, aéreas ou subterrâneas, mais pequenas e sempre fechadas, mas férteis.
  • Coca: Parte em que um fruto seco se divide, levando inclusa, uma semente (raramente duas).
  • Colectores: Pelos do estilete apropriados a reterem o pólen.
  • Colmo: Caule com os nós bem visíveis, em correspondência com tabique internos transversais, e os entrenós amplamente vestidos pelas bainhas das folhas.
  • Colo: Prolongamento superior em forma de pescoço ou de gargalo.
  • Coma: I - Conjunto de brácteas estéreis, mais desenvolvidas e frequentemente de cores mais vivas, no cimo da inflorescência; II - tufo formado pelas folhas das palmeiras no cimo do espique.
  • Comissura: Lugar em que duas partes se reúnem ou se tocam.
  • Composto: Diz-se de partes semelhantes, reunidas num todo.
  • Concolor: Com cor igual ou muito parecida em ambas as páginas (folhas) ou em todas as peças da corola ou do perianto, ou em todas as flores (capítulo). Oposto de discolor.
  • Concrescência: Crescimento comum de dois ou mais órgãos, ou de duas partes de um mesmo órgão.
  • Concrescente: Diz-se de órgãos ou partes de órgão que crescem ligados entre si.
  • Condensado: Reunido, aproximado (e.g. inflorescência condensada: com as flores muito chegadas e os eixos curtos).
  • Conduplicada: Diz-se da folha dobrada ao meio pela nervura dorsal (e.g. disposição das folhas novas no interior das gemas).
  • Conectivo: A parte média da antera entre os sacos polínicos ou lóculos.
  • Confluentes: Que se reúnem.
  • Coniventes: Aproximados no cimo.
  • Contínuo: Diz-se do caule que não apresenta juntas ou articulações por onde se pudesse dividir facilmente.
  • Contorcida: Diz-se da prefloração quando na disposição do botão floral, cada pétala ou tépala cobre parte da seguinte e é coberta, em parte, pela anterior.
  • Contraído: I - Estreitado repentinamente (e.g. folha contraída no pecíolo, folha contraída no cimo em acúmen, etc.); II - apertado, aconchegado (e.g. inflorescência contraída).
  • Convergente: I - Que tendem a aproximar-se do cimo, com a parte superior inclinada uma para a outra; II - nervuras que se dirigem da base para o cimo da folha, encurvando-se.
  • Convoluto: Tipo de prefolheação (ou de prefloração) em que cada peça está enrolada longitudinalmente sobre si mesma, incluindo no seu interior, a peça que lhe sucede (= enrolado).
  • Convolutosa: Disposição das folhas novas, enroladas sobre si mesmas, longitudinalmente, no interior das gemas.
  • Copa: O conjunto das ramificações do tronco.
  • Cordado: Em forma de coração (= cordiforme).
  • Cordiforme: Em forma de coração (= cordado)
  • Coriáceo: Que tem a consistência do couro.
  • Corimbiforme: Em forma de corimbo ou semelhante a corimbo.
  • Corimbo: Tipo de cacho em que os ramos floríferos partem de pontos diversos, mas alcançam altura semelhante.
  • Cormo: Órgão subterrâneo de armazenamento de algumas plantas, composto de uma haste vertical, engrossada por tecidos de reserva, no topo da qual uma gema produz raízes e brotos. É semelhante em função e estrutura ao rizoma. No inverno muitas plantas perdem suas folhas completamente, e somente permanece o cormo, que irá brotar no ano seguinte após o inverno e garantir a sobrevivência da planta na estação fria. Um bom exemplo de cormo é encontrado nos gladíolos.
  • Coroa: Apêndice em forma de taça ou de cúpula (e.g. coroa da corola: conjunto de apêndices ligulares das pétalas).
  • Corola: O conjunto das peças internas do perianto diferenciado (pétalas), de cor variável, ordinariamente não verde.
  • Corola ligulada: Corola simpétala, zigomórfica, de tubo curto e lábio alongado e liguliforme.
  • Cosmopolita: Designação dada às espécies com ampla área de distribuição geográfica.
  • Costa: Linha saliente, longitudinal.
  • Cotilédone: Folha primordial do embrião (e.g. embrião dicotiledóneo: que tem dois cotilédones).
  • Crasso: Gordo, grosso, suculento.
  • Crenado: Com pequenos recortes marginais arredondados.
  • Creno: Recorte pequeno e arredondado.
  • Crenulado: Com crenos muito pequenos.
  • Criófita: Planta em que as gemas de renovo estão enterradas no solo, associadas a rizomas, cormos, bolbos ou estruturas similares, ou são gemas subaquáticas (= geófito).
  • Criptófito: Forma biológica cujas gemas de renovação se situam abaixo da superfície do solo ou da água.
  • Cristado: Que tem crista ou saliências mais ou menos recortadas.
  • Crucífera: Diz-se da corola dialipétala com quatro pétalas, de unha mais ou menos longa e de limbos dispostos em cruz.
  • Cruciforme: Corola dialipétala com quatro pétalas dispostas em cruz.
  • Crustáceo: De consistência dura, delgada e frágil.
  • Cuneiforme: Que tem a forma de cunha.
  • Cúpula: I - Invólucro duro, formado por numerosas brácteas imbrincadas que se encontra na base das flores femininas de Quercus, e que, depois, reveste inferiormente, o fruto; II - invólucro fechado, eriçado de espinhos, vulgarmente chamado ouriço, que contém os frutos do castanheiro e das faias, deiscente na maturidade.
  • Cupuliforme: Em forma de taça ou de cúpula.
  • Curvinérveo: Diz-se da folha que apresenta várias nervuras longitudinais, aproximadas das duas extremidades e mais ou menos arqueado-convexas para fora da parte restante.
  • Cuspidado: Terminado em ponta rígida e aguda.
  • Cutícula: Película que reveste externamente a epiderme, formada, fundamentalmente, pela cutina.
  • Decíduo: Que cai na altura própria, como as folhas no Outono ou as pétalas depois da antese.
  • Declinado: Inclinado para a parte inferior da flor.
  • Decorrente: Prolongado com aderência abaixo do nível de inserção.
  • Decumbente: Deitado em grande extensão sobre a terra, mas com a extremidade levantada.
  • Decussada: Diz-se das folhas opostas quando cada par se cruza em ângulo recto com o par seguinte.
  • Definidos: Diz-se dos estames em número fixo e, geralmente, não muito elevado.
  • Deiscência: Abertura natural de um órgão, para a saída do seu conteúdo.
  • Deiscente: Que se abre naturalmente.
  • Deltóide: Com quatro ângulos, os dois laterais mais próximos da base que do cimo.
  • Denso: Apertado, muito junto.
  • Dentado: Com dentes.
  • Denticulado: Com dentes pequenos ou dentículos.
  • Dentiforme: Em forma de dente.
  • Descendente: Que se dirige para baixo.
  • Dextrorsa: Diz-se da hélice em que o observador, colocado no eixo, vê as espiras enrolarem-se da esquerda para a direita.
  • Diadelfos: Diz-se dos estames reunidos pelos filetes, em dois grupos.
  • Dialipétala: Diz-se da corola que apresenta as pétalas livres (não unidas).
  • Dialipétalas: Pétalas livres.
  • Dialissépalo: Diz-se do cálice que apresenta as sépalas livres, não unidas.
  • Dialitépalo: Diz-se do perianto que apresenta as tépalas livres, não unidas.
  • Dialitépalo: Diz-se do perianto que apresenta as tépalas livres, não unidas.
  • Dicásio: = cimeira bípara.
  • Diclamídeo: Perianto diferenciado em cálice e corola.
  • Dicotiledónea: Com dois cotilédones.
  • Dicotomia: Divisão em dois ramos.
  • Dicotómico: Dividido sucessivamente em dois ramos, partidos da mesma altura.
  • Didinâmicos: Diz-se dos estames quando se apresentam em número de 4, iguais dois a dois, sendo um dos grupos maior.
  • Difuso: Com os ramos dispostos sem ordem e bastante abertos.
  • Digitada: Diz-se da folha composta que apresenta os folíolos articulados no extremo do pecíolo.
  • Dimorfo: Que tem duas formas.
  • Dióico: Unissexual, com as flores masculinas e femininas separadas em indivíduos diversos.
  • Diploclamidea: Flor com perianto formado por dois verticilo, quer sejam iguais ou diferentes.
  • Diplostémone: Diz-se do androceu quando o número de estames é o dobro do número de pétalas.
  • Disco: Formação em forma de disco ou anel, geralmente glandulosa, que se encontra em torno da base do ovário e na qual estão ou parecem estar inseridos os estames e as pétalas (ver: hipogínico, perigínico, epigínico).
  • Disco epigínico: Diz-se do disco que está situado sobre o ovário.
  • Disco hipogínico: Diz-se do disco que está situado abaixo do ovário.
  • Disco perigínico: Diz-se do disco que está situado à volta do ovário.
  • Discóide: Orbicular e achatado, em forma de disco.
  • Distal: Afastado do ponto de inserção.
  • Dístico: Disposto em duas séries opostas.
  • Divaricado: Formando um ângulo muito aberto.
  • Divergentes: Afastados do cimo.
  • Dobrado(a): I - Diz-se da flores que apresenta um grande número de pétalas, muito superior ao normal; II - Capítulo radiado em que todas as corolas tubulosas do disco, ou parte delas, se transformaram em corolas liguladas.
  • Dormente: Que se encontra em estado de vida latente.
  • Dorsifixas: Diz-se das anteras presas pelo dorso ao filete.
  • Dorsiventral: Que apresenta superfícies superior e inferior, nitidamente diversas, possuindo um só plano de simetria.
  • Drupa: Fruto carnudo com a parte interna do pericarpo endurecida a constituir o caroço, lenhoso, onde fica incluída a semente ou as sementes.
  • Drupáceo: Em forma de drupa.
  • Ebracteado: Provido de brácteas.
  • Efémero: De curta duração, um dia ou menos (e.g. flores efémeras).
  • Egladular: Provido de glândula(s) (= glanduloso).
  • Eixo: O caule em relação aos ramos, o ramo considerado em relação às folhas, o pecíolo central da folha composta, o pedúnculo central da inflorescência composta.
  • Emarginado: Diz-se de uma folha (ou órgão foliáceo) que tem uma reentrância no ápice.
  • Embrião: Planta ainda em estado rudimentar, incluída na semente. Na sua maior diferenciação, compõe-se de radícula, caulículo e um ou dois cotilédones (folhas primordiais) e a gémula (pequena gema terminal).
  • Emergência: Saliência da mesma natureza, do mesmo tecido (e.g. acúleos).
  • Emersa: Diz-se da planta aquática cuja parte superior sai da água (e.g. folhas emersas: as que estão fora da água).
  • Endémico: Diz-se do taxon nativo de uma determinada área e que está restrito a essa região geográfica.
  • Endocarpo: A camada interna do pericarpo, correspondente à epiderme interna ou superior do carpelo.
  • Endoderme: Camada de células diferenciadas que estabelecem o limite entre o córtex e o cilindro central.
  • Endófita: Planta parasita ou saprófita que vive no interior de um organismo vegetal, isto é, de outra planta.
  • Endosperma: Tecido com reservas nutritivas que nas sementes das Gimnospérmicas, equivalente fisiológico do albúmen das Angiospérmicas.
  • Enérveo: Sem nervuras visíveis.
  • Ensiforme: Diz-se da folha em forma de espada (alongada, um pouco curva e estreitando para a extremidade).
  • Entomofilia: Polinização por insectos.
  • Entomófilo: Que é polinizado por intermédio de insectos.
  • Entomógama: Diz-se das flores que são polinizadas por insectos.
  • Entrenó: Porção de eixo compreendida entre dois nós consecutivos (= meritalo).
  • Entunicado: ver Bolbo.
  • Epiblasto: Formação de pequenas dimensões presente em sementes de gramíneas, tida como um segundo cotilédone rudimentar, situado do lado oposto ao escutelo.
  • Epicálice: Invólucro ou apêndice externo do cálice, formado de bractéolas ou de estípulas das sépalas, e semelhante a outro cálice, de ordinário, menor (ver: calículo).
  • Epicarpo: A parte externa do pericarpo.
  • Epiderme: Camada de células que reveste o caule e as folhas, bem como os órgãos que deles derivam.
  • Epífilo: Que vive sobre folhas e outros órgãos foliáceos.
  • Epífita: Diz-se de uma planta que vive sobre outra, sem a parasitar.
  • Epígeo/epigeu: Acima ou fora da terra (e.g. estolhos epígeos: os que correm à superfície da terra; germinação epígea: aquela em que os cotilédones saem da terra).
  • Epígina: Diz-se da flor de ovário ínfero, cujas demais partes se inserem acima dele.
  • Epigínico: Que se insere acima do ovário.
  • Epipétalo: Inserido sobre ou situado à frente de uma pétala. O mesmo que opositipétalo e o contrário de alternipétalo.
  • Epiquilo: Parte mais afastada do labelo de certas orquídeas.
  • Epissépalo: Inserido sobre ou situado à frente de uma sépala. O mesmo que opositissétalo e o contrário de alternissétalo.
  • Epitépalo: Inserido sobre ou situado à frente de uma tépala.
  • Erecto: Levantado, direito, vertical.
  • Escábrido: Ligeiramente escabro.
  • Escabro: Rude, áspero ao tacto.
  • Escama: Corpo achatado, geralmente não verde, de consistência variável (carnuda, membranosa, coriácea, escariosa ou lenhosa).
  • Escamiforme: Com a forma de escama ou semelhante a uma escama.
  • Escâmula: Escama pequena.
  • Escamuloso: Que tem escâmulas.
  • Escandente: Diz-se do caule ou da planta que trepa, prendendo-se de qualquer forma ao substrato.
  • Escapiforme: Semelhante a um escapo.
  • Escapo: Caule ou pedúnculo simples, sem folhas mas que pode ser provido de escamas ou brácteas, com a parte inferior rodeada pelas folhas basilares, e a superior terminada numa flor ou em inflorescência.
  • Escarioso: Membranáceo e seco, mais ou menos translúcido, descorado.
  • Esclereficar: Acto ou efeito de endurecer, de esclerosar, de formar esclerênquima.
  • Esclerênquima: Tecido formado por células cujas paredes se espessam muito e, geralmente, se lignificam, morrendo; faz parte do sistema de sustentação do vegetal.
  • Esclérito: Célula morta, isolada ou em pequenos grupos, de paredes espessas e impregnadas de lignina. Varia em forma e dimensões, apresentando-se, por vezes, com ramificações.
  • Escuarroso: O mesmo que escamoso.
  • Escudo: I - A parte externa e visível das escamas da pinha; II - cada uma das 8 células que formam a cobertura de um anterídioforo de uma Carácea.
  • Escutelo: O único cotilédone da semente de uma gramínea.
  • Espádice: Inflorescência em espiga cujo eixo é mais ou menos carnoso e que tem, na base, uma bráctea (espata) que pode envolve-la em maior ou menor extensão.
  • Esparso: Espalhado, pouco denso.
  • Espata: Bráctea que fica na base de uma inflorescência do tipo espádice; em geral é membranosa (e.g. antúrio) ou lenhosa (e.g. palmeira).
  • Espatulado: Em forma de colher, de espátula.
  • Espéculo: Zona central do labelo das orquídeas, geralmente glabro e brilhante.
  • Espermácio: Gâmeta masculino imóvel, incolor, desprovido de membrana, que ocorre, por exemplo, em Rodofíceas e em certos Ascomicetos.
  • Espermatângio: Célula produtora de espermácio.
  • Espiciforme: Em forma de espiga.
  • Espícula: O mesmo que espiguilha; pequeno espinho.
  • Espiga: Tipo de inflorescência em que as flores são sésseis e inseridas ao longo de um eixo, muito próximas umas das outras.
  • Espigueta: Pequena espiga típica das Gramíneas e Ciperáceas: o seu eixo (ráquila), sobre o qual se inserem as flores apresenta, na base, duas brácteas secas (glumas). Na base de cada flor, há duas bractéolas, também secas (glumelas), a inferior ou externa (lema) e a superior ou interna (pálea). O mesmo que espiguilha.
  • Espinescente: Que forma, que é provido ou que termina em espinho.
  • Espinho: Elemento pontiagudo resultante da modificação de um ramo, uma folha, uma estípula ou uma raiz. Difere dos acúleos, nomeadamente, por ser firmemente preso à planta (e.g. laranjeira).
  • Espinhoso: Provido de espinhos.
  • Espiniforme: Em forma de espinho.
  • Espínula: Espinho pequeno e delgado.
  • Espique: Caule, geralmente cilíndrico e desprovido de ramos (e.g. caule das palmeiras) terminando num tufo de grandes folhas.
  • Espontâneo(a): Diz-se da planta originária da região ou do local onde vive, desenvolvendo-se e propagando-se sem a intervenção do homem.
  • Espora: Apêndice em geral cónico existente na corola ou no cálice de certas flores (e.g. capuchinhos).
  • Esporângio: Órgão que forma e que guarda um certo tempo, esporos, nas Criptogâmicas vasculares.
  • Esporângiósporo: Qualquer esporo formado no interior de um esporângio.
  • Esporão: Prolongamento mais ou menos cónico ou tubuloso (e.g. esporão das orquídeas; prolongamento tubular situado na base do labelo).
  • Esporo: Formação geralmente unicelular e uninuclear das Criptogâmicas vasculares, capaz de germinar reproduzindo assexuadamente, o indivíduo que o gerou, e de cuja evolução resulta a fase sexuada ou protalo.
  • Esporocarpo: Estrutura globosa ou reniforme produzia por Hidropteridades (Marsileáceas e Salviniáceas) em cujo interior se desenvolvem soros.
  • Esporocisto: Cisto em que se formam esporos.
  • Esporófilo: Folha mais ou menos transformada que produz esporos.
  • Esporófito: A geração que produz esporos (em vegetais com alternância de gerações) em alternância com o gametófito (que produz gâmetas).
  • Esporóforo: Que traz, que contem ou que suporta esporos.
  • Esquizocarpo: Fruto, seco, indeiscente, pluricarpelar; cada carpelo, na maturação, separa-se dos demais formando um fruto parcial, com uma só semente.
  • Estame: Órgão masculino da flor; composto por filete e antera. O filete pode faltar; a antera contém sacos polínicos onde se produzem os grãos de pólen.
  • Estaminada: Diz-se de flor masculina, que apenas possui estames.
  • Estaminal: Relativo aos estames ou androceu.
  • Estaminódio: Estame modificado, estéril. Em alguns casos, é petalóide e vistoso.
  • Estandarte: A pétala superior da corola das papilionáceas ou das pseudo-papilionáceas. O mesmo que vexilo.
  • Estigma: Órgão glanduloso ou dilatado, situado na parte apical do pistilo, onde se deposita o pólen.
  • Estigmatífero: Que tem estigma ou diz respeito a estigma.
  • Estilete: A parte do pistilo que fica entre o estigma e o ovário.
  • Estilo: O mesmo que estilete.
  • Estilopódio: Disco epigínico nectarífero, resultante do espessamento da base dos estiletes das Umbelliferae e persistente sobre os frutos.
  • Estipela: Pequena estipula.
  • Estipitado: Provido de estípite.
  • Estípite: Pedículo de alguns carpelos e frutos.
  • Estípula: Formação laminar existente na base dos pecíolos de algumas plantas; em geral, há duas em cada folha, mas podem concrescer formando uma só peça.
  • Estipulada: Provida de estípulas.
  • Estipúlulas: Estípulas de segunda ordem, na base dos folíolos da folha composta.
  • Estivação: Maneira pela qual se dispõem as folhas, antes de desabrocharem; a prefloração é um caso particular de estivação.
  • Estolho: Caule (broto) lateral, rastejante que cria raízes nos nós, podendo formar ramos aéreos (estolho epigeu), ou inteiramente subterrâneo, originando tubérculos (batata), bolbos (trevo), etc.
  • Estolonífero: Que forma estolhos.
  • Estrelado: Como ramos ou outras partes irradiantes de um centro, como os raios de uma estrela.
  • Estriado: Provido de estrias, ou seja, de sulcos finos e superficiais, paralelos entre si.
  • Estróbilo: Pinha: formação semelhante a um cone, que se observa em algumas Pteridófitas e na maioria das Gimnospérmicas; consta de um eixo em torno do qual se dispõem esporófilos, ou escamas especializadas que transportam esporângios.
  • Estrofíolo: O mesmo que arilo.
  • Eucíclica: Diz-se de uma flor cujos verticilo têm, todos, o mesmo número de elementos.
  • Exerto: Saliente.
  • Exina: Parede externa do grão de pólen; em geral é grossa e apresenta micro-esculturas diversas.
  • Exocarpo: = epicarpo.
  • Exsudação: O mesmo que sudação ou gutação: fenómeno de eliminação de água no estado líquido, em forma de gotículas que saem através de pontos prederminados da folha (estomas aquíferos ou hidatódios).
  • Extravaginal: Que se desenvolve ou é produzido fora da bainha da folha.
  • Extrorso(a): Diz-se da antera deiscente para a parte externa da flor.
  • Face: O mesmo que página, lado ou superfície.
  • Fácies: Forma externa, aspecto geral.
  • Falcato: Estreito, mais ou menos encurvado como uma foice (= Falciforme).
  • Falciforme: Em forma de foice. O mesmo que falcato
  • Fanerófito: Categoria de plantas com caules erectos, mantendo as suas gemas expostas ao ar durante a estação desfavorável, acima do solo mais de 25 cm.
  • Fanerorogâmico: Grupo do reino vegetal que inclui todas as plantas que produzem flores. Que tem órgãos sexuais aparentes; que produz flores.
  • Fasciculado(a): Reunido em pequeno feixe ou fascículo. Raiz fasciculada: aquela em que não se distingue, nem pela posição nem pelo desenvolvimento, um ramo principal; típico das monocotiledóneas; diz-se das folhas quando, 3 ou mais folhas se inserem num mesmo ponto de um nó.
  • Fastigiado: Que tem ramos levantados e aproximados.
  • Fauce: Garganta; entrada do tudo (da corola, do cálice, do perianto).
  • Fava: Vagem (fruto) ou a semente de uma planta leguminosa.
  • Feixes: Diz-se de um conjunto de elementos do tecido vascular ou de fibras.
  • Feminina: Diz-se de flor que tem carpelos e não tem estames.
  • Fendido: Diz-se de folha ou de órgão foliáceo, cujas margens são profundamente sulcadas, indo os sulcos, aproximadamente, até ao meio das lâminas.
  • Fibra: Célula muito comprida, de paredes reforçadas, geralmente com lignina, que funciona como elemento de sustentação, podendo também armazenar reservas.
  • Fibrila: Fibra delgada.
  • Filamentoso: Que tem filamentos.
  • Filária: O mesmo que brácteas involucrais; conjunto de brácteas involucrais externas em capítulos de Asteraceae.
  • Filete: O filamento de um estame.
  • Filocládio: Ramo curto e laminar, de crescimento limitado, provido de clorofila e que desempenha as funções de folha (= cladódio).
  • Filódio: Pecíolo achatado e laminar que substitui o limbo em casos em que este está suprimido.
  • Filoide: Semelhante a uma folha; parte do talo de certas algas que lembra, pelo aspecto, uma folha.
  • Filotaxia: Disposição ou arranjo das folhas no caule.
  • Fímbria: Franja muito delgada.
  • Fistuloso: Diz-se do caule, do pedúnculo, etc., oco, tubuloso, como no caso do bambu.
  • Flabelado: Em forma de leque (= Flabeliforme).
  • Flavescente: Que amarelece; que adquire aparência dourada.
  • Floema: O conjunto dos elementos criblados, das células parenquimáticas axiais e radiais e fibras. O mesmo que líber.
  • Flor: Aparelho de fecundação e reprodução das Fanerogâmicas.
  • Floração: Desabrochamento das flores; desenvolvimento da flor; estado da planta em flor.
  • Florada: Abertura geral das flores de uma planta ou de um conjunto de plantas
  • Florescência: Acto de florescer, de produzir flores. O mesmo que florir.
  • Florete: Termo utilizado para designar as flores de Asteraceae.
  • Florífero: Que produz flores.
  • Florir: O mesmo que florescência.
  • Flósculo: Pequena flor; cada uma das flores do capítulo de uma Composta.
  • Folha: Órgão lateral que nasce sobre o caule principal ou sobre os seus ramos; tem crescimento limitado, é geralmente laminar, verde e tem, como principal função, a fotossíntese. Compõe-se de limbo (lâmina), pecíolo, bainha e estípulas. Qualquer destas partes pode faltar.
  • Folha completa: Folha com bainha, pecíolo e limbo.
  • Folha composta: Folha formada, geralmente, por duas ou mais lâminas parciais (folíolos) inseridas num pecíolo comum.
  • Folheatura: Época do desabrochar das folhas.
  • Folhoso: Que tem muitas folhas.
  • Foliáceo: Semelhante ou relativo a folhas.
  • Folículo: Fruto seco, derivado de um só carpelo, deiscente, que se abre por uma única fenda longitudinal, com uma ou mais sementes.
  • Foliolado: Que tem folíolos.
  • Folíolo: Um dos limbos parciais de uma folha composta. Uma das peças do epicálice.
  • Fórmula floral: conjunto de iniciais, números e signos com que se indica, de forma abreviada, a organização de uma flor.
  • Forquilhado: Dividido em duas partes, como um forcado.
  • Fronde: Termo usado para designar as folhas das Filicíneas, tanto as férteis (esporófilos) como as estéreis (trofólitos) e de palmeiras. Talo das algas e dos líquenes foliáceos.
  • Frutescência: Época em que os frutos se desenvolvem e amadurecem.
  • Frutescente: Que se torna arbustivo.
  • Fruticoso: O mesmo que arbustivo.
  • Frutífero: Que produz frutos.
  • Frutificação: Ato de frutificar, de produzir frutos.
  • Fruto: O corpo que resulta do ovário desenvolvido, depois de fecundado. Compõe-se do pericarpo e de uma ou mais sementes.
  • Funículo: Pedúnculo pelo qual o óvulo (e, mais tarde, a semente) se liga à placenta ou à parede do ovário (e, mais tarde, ao fruto).
  • Furfuráceo: Diz-se de planta ou de seus órgãos, quando cobertos de minúsculas escamas.
  • Fusiforme: Em forma de fuso: intumescido na parte central e adelgaçado nas extremidades.
  • Fuste: O eixo principal do vegetal; tronco.
  • Gálbulo baciforme: Gálbulo com as escamas carnudas soldadas entre si, indeiscente, pequeno e de forma globosa, ovóide ou subpiriforme, como os gálbulos do zimbro.
  • Gálbulo(a): Pequena pinha globosa, ovóide ou subpiriforme, com poucas escamas de escudo largo e peltado (e.g. Juníperos).
  • Galha: Entumescência de qualquer parte de um vegetal produzida pelo ataque de insectos, vermes, fungos ou bactérias.
  • Gametófito: Geração que termina produzindo gâmetas.
  • Gamocarpelar: De carpelos fundidos, concrescidos.
  • Gamófilo: Termo usado em relação com quaisquer estrutura de natureza foliar quando as peças que a compõem (brácteas, sépalas, pétalas, etc. Se apresentam soldadas, concrescidas, coesas.
  • Gamopétalas: Pétalas total ou parcialmente soldadas (infundibuliforme, labiada, tubuliforme, campanulada).
  • Gamossépalas: Sépalas fundidas.
  • Gamotépalo: Tépalas fundidas.
  • Gavinha: Filamento do caule ou da folha com a propriedade de se enrolar nos corpos vizinhos; órgão de fixação de certas plantas com o qual elas podem prender-se a substratos.
  • Gavinhoso: Que tem gavinhas.
  • Gema: Rudimento de um ramo, habitualmente formado na axila de uma folha (gema axilar) ou na terminação de um ramo (gema terminal); corpo ovoide formado por um eixo pouco desenvolvido com folhas rudimentares conchegadas, as externas frequentemente transformadas em escamas protectoras (catáfilos). Há gemas vegetativas, que produzem ramos e folhas quando se desenvolvem, e gemas floríferas, que produzem flores.
  • Gemação: Produção de gemas.
  • Geminado: I. Diz-se de órgãos ou de suas partes quando se encontram dispostos dois a dois; II. Diz-se das folhas um par se insere no mesmo nó, no mesmo ponto.
  • Gémula: Pequena gema.
  • Geniculado: Dobrado em forma de joelho.
  • Geófita: Categoria de plantas em que as gemas de renovo estão enterradas no solo, associadas a rizomas, cormos, bolbos ou estruturas similares, ou são gemas subaquáticas.
  • Germe: Parte de um ser vivo capaz de produzir uma nova planta (ou animal). Na semente, o germe é o embrião. O mesmo que gérmen.
  • Gérmen: O mesmo que germe.
  • Germinação: Acto de germinar.
  • Germinar: Nas plantas que produzem sementes, o germinar consiste numa série de processos que culminam com a emissão. da radícula ou da plúmula. O conceito de germinação generalizou-se às plantas produtoras de esporos.
  • Giba: Pequena saliência em forma de corcunda (e.g. observa-se na flor de "boca-de-leão").
  • Giboso: Que tem giba ou corcova
  • Gimnospérmica: Planta ou grupo de plantas cujas sementes são nuas, no sentido de que não se encontram encerradas no interior de um ovário transformado em fruto, mas presas a folhas carpelares abertas.
  • Gimnósporo: Esporo nu. Opõe-se a clamidósporo.
  • Gineceu: A parte feminina da flor; conjunto dos carpelos, livres ou aderentes, de uma flor
  • Ginobásico: Diz-se do estilete que não surge no ápice do ovário mas, aparentemente, do tálamo (e.g. nas Labiadas e Borranináceas).
  • Ginóforo: Prolongamento do eixo floral que eleva o gineceu acima do ponto de inserção dos demais elementos componentes da flor (e.g. ocorre nas Caparidáceas). O mesmo que ginopódio.
  • Ginopódio: O mesmo que ginóforo.
  • Ginostégio: Coroa de estames das Asclepiadáceas.
  • Ginostémio: Coluna por cima do ovário, resultante da fusão de um ou mais estames com estilete e estigma, nas flores das orquídeas.
  • Gitonogamia: Fecundação entre flores vizinhas, na mesma planta.
  • Glabrescente: Quase desprovido de pelos.
  • Glabro: Diz-se dos órgãos vegetais desprovidos de pelos.
  • Glande: Bolota; fruto seco, monospérmico, indeiscente, provido de uma cúpula.
  • Glândula: Órgão que segrega substâncias específicas.
  • Glandulífero: O mesmo que glanduloso.
  • Glanduloso: Que tem glândulas. O mesmo que glandulífero.
  • Glaucescente: Ligeiramente glauco.
  • Glauco: De cor verde clara, azulada.
  • Glomérulo: Inflorescência do tipo cimeira multípara, muito contraída, globulosa, com os eixos muito curtos ou quase nulos, e as flores muito condensadas.
  • Gluma: Cada uma das brácteas (hipsófilos) que se encontram aos pares na base de cada espiguilha das gramíneas.
  • Glumela: Cada uma das duas peças escamiformes, escariosas ou paleáceas que se encontram na base de cada flor de uma gramínea: glumela superior (pálea) e glumela inferior (lema).
  • Glumélulas: Pequenas escamas (duas ou três) dispostas em volta das flores das flores das gramíneas, e que lhes substituem o perianto.
  • Gomiloso: Em forma de gomil ou de jarro: bojudo e com a parte superior apertada.
  • Graminiforme: Semelhante a gramínea.
  • Grampiforme: Em forma de grampo ou gancho. O termo aplica-se às raízes de certas plantas trepadeiras
  • Habitat: Espaço geográfico com factores abióticos que condicionam um ecossistema, determinando a distribuição das populações.
  • Hábito: O mesmo que porte.
  • Halófito: Diz-se de qualquer ser vivo adaptado a viver em ambientes com elevado teor salino.
  • Haploclamídeo: Com o perianto simples, formado por um só verticilo (= monoclamídeo).
  • Haplostémone: Diz-se de uma flor com um verticilo apenas de estames.
  • Hastado: = Alabardino.
  • Helófitas: Subcategoria de plantas geófitas em que as gemas de renovo ficam enterradas no lodo (ou pelo menos imersas), as folhas ficam pelo menos parcialmente emersas. Plantas típicas das zonas pantanosas e das águas rasas (e.g. Typha e Phragmites).
  • Hemicriptófitos: Categoria de plantas herbáceas, vivazes ou bienais, que perdem a biomassa aérea na estação desfavorável. As gemas estão junto ao solo protegidas por detritos orgânicos.
  • Hemiginobásico: Diz-se do estilete inserido um pouco acima da base dos carpelos.
  • Herbáceo: Com consistência de erva; verde; não lenhoso.
  • Hermafrodita: Diz-se da flor que possui estames e carpelo(s).
  • Heteroclamídea: Diz-se da flor que apresenta cálice e corola distintos.
  • Heterófilo: Que possui folhas de mais do que uma forma.
  • Heterogâmico: Diz-se do capítulo que apresenta flores femininas ou neutras, ma margem, e hermafroditas ou masculinas, no disco.
  • Hidrófitas: Subcategoria de plantas geófitas cujas as gemas dormentes e as folhas ficam submersas (e.g. as Nymphaeaceae).
  • Hilo: Região em que o óvulo ou a semente está presa ao funículo, que a liga à placenta.
  • Hipanto: Receptáculo em forma de taça que circunda as flores com ovário ínfero, concrescente com ele e no qual se inserem as sépalas, pétalas e estames (e.g. géneros Agrimonia e Sanguisorba).
  • Hipocrateriformes: Corola gamopétala com uma parte tubular longa e estreita e limbos perpendiculares (e.g. Primula).
  • Hipógeo: Abaixo da superfície da terra (e.g. estolhos hipógeos, germinação hipógea).
  • Hipogínico: Inserido inferiormente ao ovário.
  • Hirsuto: Coberto de pelos compridos, flexíveis, densos.
  • Híspido: Coberto de pelos muito rígidos, quase picantes, patentes e não muito densos.
  • Homoclamídeo: Diz-se da flor que apresenta pétalas e sépalas muito semelhantes, chegando a confundir-se o cálice com a corola.
  • Homogâmico: Diz-se do capítulo no qual as flores são todas hermafroditas.
  • Humícula: Que vive sobre o húmus.
  • Imberbe: Desprovido de pelos.
  • Imbrincado: Disposta de modo a cobrirem-se parcialmente, como as telhas de um telhado.
  • Imersa: Diz-se da planta ou de seus órgãos que estão mergulhados na água.
  • Imparifoliolado: Diz-se de uma folha composta com os folíolos dispostos aos pares, havendo um, impar, no ápice da ráquis.
  • Imparipenatissecto: Diz-se da folha pinatissectas que apresenta os segmentos dispostos aos pares e um segmento terminal.
  • Imparipinada: Diz-se de folha pinada cujo eixo (ráquis) termina por um folíolo.
  • Imparipinulada: Diz-se da folha pinulada que apresenta os folíolos articulados lateralmente, aos pares, e um folíolo terminal.
  • Incano: Diz-se de uma superfície revestida por pelos muito curtos, densos e dispostos tão próximos que dão a impressão da superfície ser de coloração branca.
  • Incisa: Diz-se da folha que apresenta a margens recortada em lóbulos irregulares.
  • Inciso: Dentado profundo e irregular.
  • Incluso: Não saliente (e.g. estames inclusos: não salientes do tubo da corola).
  • Inconspícuo: Pouco aparente.
  • Incumbentes: I. Diz-se dos cotilédones quando um deles está dobrado de modo que o hipotótilo fique encostado ao dorso de um deles; II. Diz-se da antera quando esta se encontra deitada contra o lado interno do filete.
  • Indefinido: Em número variável ou elevado.
  • Indeiscente: Que não se abre naturalmente.
  • Indígena: = Nativo, autóctone.
  • Indumento: Qualquer revestimento (cera, escamas, espinhos, pelos ou tricomas, etc.) que cobre a superfície de um órgão (folhas, frutos, sementes, etc.).
  • Indúsio: Escama que cobre os soros de alguns fetos.
  • Inerme: Sem espinhos ou acúleos.
  • Ínfero: Diz-se do ovário que fica abaixo do ponto de inserção dos outros verticilo florais.
  • Inflado: Inchado, intumescido. Aplica-se aos órgãos cuja forma se assemelha a um pequeno balão.
  • Inflorescência: A disposição das flores. Mais restritamente, designa o modo de agrupamento das flores num pedúnculo ramificado.
  • Infrutescência: Reunião de frutos provenientes de uma inflorescência agrupada.
  • Infundibuliforme: Corola gamopétala campanulada mas muito mais dilatada na parte superior.
  • Inserção: Local onde um órgão se prende a outro.
  • Inteiro: Diz-se da folha cujas margens não são recortadas.
  • Interfloral: Diz-se das brácteas que vestem o receptáculo do capítulo e cujas axilas saem as flores.
  • Intravaginal: Que se produz ou se desenvolve dentro da bainha da folha.
  • Introrso: Diz-se da antera que, na maturidade, se abre para o interior da flor.
  • Invaginação: Prolongamento em forma de dedo de luva ou de bainha de espada.
  • Involucelo: Invólucro de segunda ordem (e.g. o conjunto das brácteas que se situam na base das umbélulas de uma umbela composta).
  • Involucrada: Que tem invólucro.
  • Invólucro: Grupo de brácteas, livres ou aderentes, que rodeia uma inflorescência.
  • Invólucro bisseriado: Brácteas involucrais arranjadas em duas séries.
  • Invólucro comprimido: Formado de 2-8 brácteas involucrais foliáceas.
  • Invólucro eximbricado: As brácteas têm comprimentos semelhantes que se abrem na maturidade e a maioria ou umas poucas brácteas mais internas são decíduas.
  • Invólucro imbricado: Composto de brácteas fortemente sobrepostas em mui-tas séries de tamanhos gradualmente maiores podendo ser ou não decíduas na maturidade
  • Invólucro multisseriado: Brácteas involucrais arranjadas em várias séries.
  • Invólucro paucisseriado: Brácteas involucrais arranjadas em poucas séries.
  • Invólucro subimbrincado: As brácteas são progressivamente maiores em séries sobrepostas, mas pelo menos as séries mais externas se abrem mas não caem na maturidade.
  • Involuta: Diz-se da folha que apresenta os bordos voltados para a face inferior. Oposto de revoluta.
  • Isómero: Diz-se do perianto quando possui um verticilo floral com número de peças igual ao de outro ou de outros com que é comparado.
  • Isostémone: Diz-se do androceu quando o número de estames é igual ao número de pétalas.
  • Junciforme: Em forma de junco ou semelhante a junco.
  • Labelo: Tépala central do perianto das orquídeas, dirigida para baixo, diferente de todas as outras na forma, nas dimensões e nos padrões cromáticos.
  • Labiado(a): Corola simpétala (gamopétala e zigomorfa) de 5 pétalas das quais duas superiores são soldadas e formam o lábio superior, e as três inferiores, igualmente soldadas, formam o lábio inferior. Também o cálice apresenta dois lábios. Por isso, o termo mais usado para referir este tipo de flor é o de bilabiado.
  • Lacerado: Dividido irregularmente em pequenas partições.
  • Lacínia: Partição comprida e estreita.
  • Laciniado: Que tem lacínias; diz-se quando os bordos de qualquer órgão laminar (folhas, pétalas, etc.) estão recortados em profundos e estreitos segmentos pontiagudos.
  • Lacrimiforme: Em forma de lágrima. O mesmo que piriforme.
  • Lactescente: Leitoso; que tem látex.
  • Lactífero: Que produz látex.
  • Ladanífera: Diz-se de uma planta que produz uma substância resinosa denominada ládano ou lábdano.
  • Lameliforme: Em forma de lamela.
  • Lameloso: Que tem pequenas lâminas ou lamelas.
  • Lâmina: A parte dilatada das folhas, das pétalas ou das tépalas (= limbo).
  • Lanceolado: Que tem a forma do ferro de uma lança: largo a meio e estreito nas extremidades.
  • Lanoso: Que tem pelos compridos e crespos, semelhantes aos da lã.
  • Lanuginoso: Que tem pelos crespos, macios e pouco compridos.
  • Látex: Suco leitoso, como o de algumas espécies de Euphorbiaceae.
  • Laxifloro: Com as flores afastadas umas das outras.
  • Laxo: Frouxo.
  • Leitoso(a): Diz-se de planta com secreções leitosas, de látex. O mesmo que lactescente.
  • Lema: Glumela inferior ou externa da espigueta das Poaceae (= Gramineae), localizada na base de cada flor (antécio) e que envolve a cariopse pelo lado dorsal.
  • Lenho: A parte interna do tronco e dos ramos até ao câmbio nas Gimnospérmicas e Dicotiledóneas.
  • Lenhoso: Diz-se de um órgão que apresenta a consistência da madeira.
  • Lenticular: Em forma de lente biconvexa.
  • Liana: Fanerófito escandente (trepadeira).
  • Liber: A parte mais interna da casca em contacto com o câmbio.
  • Lígula: Apêndice membranoso que ocorre na junção do pecíolo das folhas com a bainha. Nas flores das espécies da família Asteraceae (= Compositae), denomina-se de lígula à corola gamopétala e zigomórfa das flores da periferia do capítulo.
  • Ligulada: Diz-se de corola que apresenta as pétalas compridas e estreitas, unidas quase completamente, assemelhando-se a uma pequena língua.
  • Ligular: Corola gamopétala em que o limbo, de um lado, forma uma lâmina comprida rematada por pequenos dentes.
  • Liguliforme: Em forma de lígula.
  • Limbo: Parte laminar de uma folha.
  • Linguiforme: Diz-se da folha estreita e comprida com a extremidade larga e um pouco côncava.
  • Lirado(a): O mesmo que penatifendida ou penatipartida ou penatissecta, com o segmento final muito maior do que os laterais.
  • Lobado: Que tem lóbulos.
  • Lobo: Porção de limbo, larga e em regra, arredondada, compreendida entre as incisuras que não alcançam o meio do limbo (ou do semilimbo se tratar de uma folha peninérvea).
  • Lóbulo: Recorte não muito fundo, que não chega a metade do órgão.
  • Loculicida: Diz-se da cápsula plurilocular que apresenta deiscência ao longo da nervura mediana.
  • Lóculo: Cavidade ou compartimento de alguns órgãos vegetais (e.g. ovários, cápsulas, anteras, etc.).
  • Lodícula: O mesmo que glumélula; duas ou três escamas hialinas, rudimentares (que substituem o perianto), associadas à base do ovário e da espigueta, como em Poaceae (= Gramineae), no géneros Oriza e Phalaris.
  • Lomento: Fruto seco, comprimido, alongado, com constrições entre as sementes; fragmenta-se transversalmente, na maturação em segmentos com uma só semente, deiscentes ou indeiscentes.
  • Lustrosa: Superfície glabra e polida, que parece envernizada; reluzente.
  • Lúteo: Amarelo-vivo.
  • Lutescente: Coloração que se aproxima do amarelo pálido.
  • Macrofanerófito: Fanerófito com mais de 2 m de altura.
  • Macrosporângio: Esporângio que produz macrósporos.
  • Macrósporo: Esporo de maiores dimensões e que, quando germina, dá origem a um protalo feminino.
  • Macrosporófilo: Esporófilo onde se inserem macrósporos.
  • Mácula: Mancha de cor diferente, geralmente mais escura, do que a parte restante.
  • Maculado: Provido de máculas.
  • Maduro: Estado dos frutos que têm sementes aptas a germinar. Estado do ovário com óvulos aptos a serem fecundados.
  • Mamilo: Protuberância em forma de bico de peito.
  • Marcescente: Que persiste seco, murcho.
  • Margem: Linha de contorno. O mesmo que bordo.
  • Masculina: Diz-se da flor que tem estames mas não tem carpelos.
  • Maturação: Período de vida ou estado da planta com frutos (ou esporângios) maduros.
  • Medula: Tecido parenquimático que ocupa a parte central de um caule.
  • Megafanerófito: Fanerófito com gemas de renovo a mais de 30 m do solo. Nesta categoria incluem-se as grandes árvores.
  • Melífera: Plantas cujas flores atraem abelhas.
  • Melonídeo: Fruto carnoso, indeiscente, multisseminado, originário de um ovário ínfero ou súpero, com placentação parietal; pericarpo com pouca ou muita espessura, com cavidade central ampla não dividida em lóculos e forrada por placentas carnosas, que envolvem numerosas sementes ariladas ou com funículo espessado (e.g. frutos das Cucurbitáceas).
  • Membranáceo: Com textura de membrana.
  • Mericarpo: Cada uma das porções correspondentes a um só carpelo, geralmente monospérmicas e indeiscentes, em que se divide um fruto esquizocárpico.
  • Meristema: Tecido vivo. Ainda não diferenciado.
  • Mesocarpo: A parte do pericarpo compreendida entre a película externa, o epicarpo, e a camada interna, ou endocarpo; e, em geral, a parte mais desenvolvida do fruto, podendo ser fibroso, farináceo, carnoso e comestível, ou não.
  • Mesofanerófito: Fanerófito com as gemas de renovo 8 a 30 m acimado solo. São as árvores de porte mediano.
  • Mesófito: Planta que vive em condições climáticas médias para determinado lugar ou região.
  • Micorriza: Simbiose entre o micélio de certos fungos e as raízes de determinadas plantas.
  • Microfanerófito: Fanerófito com gemas de renovo a 2 a8 m do solo. Nesta categoria incluem-se os grandes arbustos e as pequenas árvores.
  • Micrópilo: Abertura do tegumento do óvulo.
  • Microsporângio: Esporângio onde se formam os micrósporos.
  • Micrósporo: Esporo de menores dimensões e que, quando germina, dá origem a um protalo masculino.
  • Monadelfos: Estames unidos pelos filetes, num só grupo.
  • Moniliforme: Em forma de colar ou rosário.
  • Monocásio: O mesmo que cimeira unípara.
  • Monoclina: Diz-se de flor que possui androceu e gineceu.
  • Monocotiledónea(s): Planta ou grupo de plantas angiospérmicas cujas sementes (cariopse) possuem um embrião com um único cotilédone.
  • Monoica: Planta com flores masculinas e femininas separadas, mas no mesmo indivíduo.
  • Monospérmico: Com uma só semente (= Unisseminado).
  • Mucrão: Pequena ponta rígida, terminal (= Apículo).
  • Mucronado: Com mucrão.
  • Mucronulado: Com um mucrão muito reduzido.
  • Multicaule: Plantas que se ramificam perto da base produzindo vários caules, sensivelmente da mesma espessura e altura; ou aquelas cujo rizoma emite vários caules aéreos semelhantes em altura, espessura, etc.
  • Multiflora: Que tem muitas flores.
  • Multilobado: Que tem muitos lóbulos.
  • Multilocular: Que tem muitos lóculos.
  • Multiovulado: Diz-se do ovário que tem muitos óvulos.
  • Multisseminado: Com muitas sementes.
  • Muricada: Diz-se da superfície de certos frutos que apresenta numerosas excrescências curtas, irregulares e duras; ou providas de saliências (espinhos, tubérculos pontudos, ou curtos acúleos cónicos). Exemplo: Medronho.
  • Mútico: Sem mucrão nem arista.
  • Nanofanerófito: Fanerófito cujas gemas de renovo se encontram a 0,25 a 2m do solo. Incluem-se nesta categoria os subarbustos e os pequenos arbustos.
  • Napiforme: Com a forma de nabo.
  • Nativo: Diz-se de um taxon, ou a uma espécie, que é natural da região em que vive.
  • Naturalizada: Espécie deslocada acidentalmente ou propositadamente de uma região para outra, onde não existia, e que aí se adapta, multiplica e propaga sem intervenção direita do homem.
  • Navicular: Com a forma de barco.
  • Nectarífero: Que produz néctar.
  • Nectário: Órgão glanduloso que segrega néctar.
  • Nervoso: Com nervuras bem aparentes.
  • Nervuloso: Com nervuras delgadas, aparentes.
  • Nervura: Feixes de tecidos condutores, mecânicos e outros, existente no limbo foliar ou noutros órgãos de natureza foliar, em regra bem distintos e por vezes muito salientes, principalmente na página inferior.
  • Nervura marginal: A que percorre o limbo junto à margem.
  • Nervuras reticuladas: Aquelas cujas ramificações se anastomosam em rede.
  • Nictitrópico(s): Diz-se dos movimentos da planta provocados pela presença e ausência, alternados, da luz.
  • Nitrófila: Planta que requer solo com matéria orgânica rica em substâncias azotadas.
  • : Parte de um eixo embrionário ou de uma plântula, a partir do qual se origina uma folha ou uma folha modificada (coleóptilo, cotilédones ou escutelo); ou parte espessada sólida do colmo onde nascem raízes, folhas e ramos.
  • Noz: Designação genérica para aquénio ou núcula.
  • Nu: Desprovido das peças que regularmente o revestem (e.g. caule nu: sem folhas; flor nua: sem perianto; inflorescência nua: sem folhas).
  • Nucela: Tecido nutritivo do saco embrionário.
  • Nucoide: Designação genérica para fruto indeiscente, formado por 1 a 2 carpelos, com pericarpo seco, não diferenciado nas três camadas típicas (coriácea, lenhosa, membranácea); tem formas variadas podendo apresentar um grande número de acessórios; a superfície do pericarpo pode ser lisa, pilosa, cerdosa ou esquinada. Sob esta designação, inclui-se a sâmara, o betulídeo, o aquénio e a núcula.
  • Núcula: Fruto nucoide, pequeno e simples, indeiscente e unisseminado, com a semente presa ao pericarpo em um só ponto, na base; pericarpo não soldado ao tegumento; pode apresentar adaptações para a dispersão pelo vento, pela água ou pelos animais. A núcula ocorre em espécies de Cyperaceae e Polygonaceae, e em Ranunculos (Ranunculaceae), entre outras.
  • Nuculânio: Fruto drupoide, indeiscente, com dois ou mais caroços.
  • Nudicaule: Caule nu, sem folhas.
  • Nutante: Inclinado para baixo.
  • Ob: Prefixo que confere significado de posição ou forma invertida relativamente ao sentido original do termo a que se junta.
  • Obcónico: Em forma de cone invertido.
  • Obcordado(a): Diz-se quando um órgão (folha, fruto ou semente) tem um contorno em que a parte mais larga se localiza no ápice.
  • Oblanceolado(a): Diz-se quando um órgão (folha, fruto ou semente) tem contorno de lança invertida, com a parte mais larga no ápice e a parte aguda junto à inserção.
  • Oblongo: Em forma de elipse.
  • Obovado(a): Diz-se quando um órgão (folha, fruto ou semente) tem contorno de ovo invertido, com a parte mais larga voltada para o ápice e com o ponto de inserção na extremidade estreita.
  • Obtuso: Diz-se de órgão terminado em ângulo obtuso.
  • Ócrea: Estrutura com aspecto de bainha que envolve o caule, em certas plantas; é o resultado do concrescimento de estípulas axilares, nos dois bordos.
  • Oleaginoso: Rico em azeites ou óleos.
  • Oleífero: Que produz óleos.
  • Oligospérmico(a): Que tem poucas sementes.
  • Oligostémone: Que tem poucos estames, em número inferior do que as pétalas.
  • Ondulado: Diz-se quando a margem de um órgão (folha, fruto ou semente) apresenta concavidades e convexidades alternadas e sucessivas.
  • Oposta cruzada: Ramos ou folhas opostas em que o plano médio de cada par é perpendicular aos dos pares consecutivos imediatos (= decussado).
  • Oposto: Quando a inserção ocorre aos pares, ao mesmo nível e em sentido contrário, ou em pontos opostos.
  • Orbicular: De contorno circular.
  • Ortotrópico: Diz-se do óvulo que apresenta o eixo recto e o micrópilo diametralmente oposto ao hilo (= Ortrótopo).
  • Ouriço: Invólucro espinhoso de algumas flores e frutos (e.g. castanheiro).
  • Ovado: De forma oval.
  • Ovalado: Diz-se quando um órgão (folha, fruto ou semente) tem contorno de ovo (= ovado e ovóide).
  • Ovário: Parte do carpelo, ou dos carpelos aderentes, onde são produzidos os óvulos.
  • Ovóide: (= Ovalado).
  • Óvulo: Pequeno corpo ligado ao ovário, que depois de fecundado origina uma semente.
  • Página(s): As duas faces do limbo de uma folha: página superior e página inferior.
  • Palato: Intumescimento do lábio inferior da corola bilabiada que lhe tapa a fauce.
  • Paleáceo(a): Com textura e coloração de palha (aplica-se às folhas).
  • Páleas: I. Órgãos laminares, membranosos, em forma de escamas, que existem no eixo da inflorescência de numerosas Asteraceae; II. Glumela seca, superior ou interna, da espigueta das Poaceae (= Gramineae), também conhecida como bráctea fértil, e que envolve a cariopse pelo lado ventral.
  • Palmado: Diz-se da folha que se divide em segmentos, lembrando a palma da mão.
  • Palmatifendida: Diz-se da folha palminérvea, cujos recortes chegam aproximadamente a metade do limbo.
  • Palmatilaciniada: Diz-se da folha palminérvea dividida em lacínias.
  • Palmatilobada: Diz-se da folha palminérvea cujos recortes não chegam a metade do limbo.
  • Palmatipartida: Diz-se da folha palminérvea cujos recortes passa a metade do limbo podendo chegar próximo do pecíolo.
  • Palmatissecta: Diz-se da folha palminérvea cujos recortes são muito profundos chegando até ao pecíolo.
  • Palminérvea: Diz-se da folha que apresenta várias nervuras divergentes, que partem do pecíolo, como os dedos afastados.
  • Palustre: Planta própria de lagoas e águas estagnadas.
  • Panduriforme: Diz-se de uma folha que, sendo apertada no meio e arredondada nas extremidades, apresenta o feitio de pandura ou viola.
  • Panícula: Tipo de cacho (inflorescência) composto em que os ramos crescem da base para o ápice e o conjunto assume uma forma cónica, piramidal, com o ápice para cima.
  • Paniculado: Que se dispõe em panícula.
  • Paniculado: Disposto em panícula.
  • Paniculiforme: Em forma de panícula.
  • Papaverácea: Corola com quatro pétalas distribuídas em dois verticílos.
  • Papila(s): Pequena saliência superficial.
  • Papilho: O mesmo que papus.
  • Papilho: Apêndice de pelos, de sedas ou de escamas que coroa vários frutos e várias sementes (= papus).
  • Papilhoso: Que tem papilho.
  • Papilionácea: Corola dialipétala, zigomórfica, formada por 5 pétalas: o estandarte (superior), as asas (laterais) e duas outras, inferiores, unidas formando a quilha ou carena (e.g. leguminosas).
  • Papilionácea: Corola zigomorfa (simetria bilateral), de 5 pétalas: uma superior, o estandarte; duas laterais, as asas; e duas inferiores geralmente aderentes constituindo uma peça central, a quilha, onde ficam inclusos o androceu e o gineceu.
  • Papiloso: Que tem papilas.
  • Papiráceo: Com a consistência do papel.
  • Pápula: Vesícula com líquido aquoso.
  • Papuloso: Que tem pápulas.
  • Papus: Pappus (latim): tufo apical de tricomas ou cerdas ou apêndices homólogos nos frutos de Asteraceae e Valerianaceae (= papilho). A principal função do papus é a dispersão pelo vento de sementes ou frutos.
  • Paralelinérveo: Diz-se da folha que apresenta várias nervuras longitudinais mais ou menos paralelas.
  • Parietal: Que se insere na ou pertence à parede.
  • Paripinulada: Diz-se da folha composta com folíolos articulados aos pares ao longo do pecíolo e sem folíolo ímpar (= Parapinada).
  • Partenogénese: Desenvolvimento do óvulo sem fecundação (e.g. ocorre na banana).
  • Patente: Aberto em ângulo quase recto.
  • Peciolado: Que tem pecíolo.
  • Pecíolo: Parte da folha que prende o limbo ao caule.
  • Peciolulado: Que tem peciólulo.
  • Pecíólulo: Ramificação do pecíolo, ou pecíolo de segunda ordem, que suporta um folíolo.
  • Pectinado: Em forma de pente; com lacínias.
  • Pedicelado: Que tem pedicelo.
  • Pedicelo: Pequena haste que sustenta cada uma das flores de uma inflorescência; ou sustenta uma espigueta nas Poaceae (= Gramineae).
  • Pedunculado: Que tem pedúnculo.
  • Pedúnculo: Haste que suporta uma flor solitária ou uma inflorescência grupada. Neste último caso, o pedúnculo ramifica-se em pedicelos.
  • Pêlo: Formação epidérmica, uni ou pluricelular, simples ou ramosa.
  • Peltada: Diz-se da folha em forma de escudo, com o pecíolo inserido mais ou menos no centro, e perpendicular.
  • Penatifendida: Diz-se da folha peninérvea e com recortes que chegam aproximadamente a metade da distância da margem à nervura central.
  • Penatilobada: Diz-se da folha peninérvea em que os recortes não chegam a metade da distância da margem à nervura central.
  • Penatipartida: Diz-se da folha peninérvea em que os recortes passam da metade da distância da margem à nervura central.
  • Penatissepta: Diz-se da folha peninérvea em que os recortes, muito profundos, chegam à nervura central.
  • Pendente: Pendurado, suspenso.
  • Peninérvea: Diz-se de uma folha cuja nervura principal se ramifica em nervuras secundárias, dispostas como as barbas de uma pena.
  • Pepónio: Fruto sincárpico, carnoso, indeiscente, multisseminado, originado por um ovário ínfero de 3 ou 5 carpelos, com placentação parietal, pericarpo carnoso e sementes embebidas em polpa sucosa (e.g. pepino).
  • Perene: Planta que vive muitos anos.
  • Perenifólio(a): Árvore ou arbusto que tem folhas perenes (oposto a caducifólio).
  • Perianto: O conjunto das peças florais externas aos carpelos e aos estames; pode ser simples ou diferenciado em cálice e corola (= perigónio).
  • Pericarpo: Parede do fruto; provém da parede do ovário e é formado por três camadas: epicarpo, mesocarpo e endocarpo.
  • Perigínico: Diz-se do disco quando este se situa sobre a corola ou o perianto, em volta do ovário.
  • Perigínico: Inserido em volta do ovário livre (e.g. estames perigínicos: inseridos na corola ou no perianto).
  • Perigínio: Bráctea em forma de saco que se estende por baixo da flor pistilada e, mais tarde, envolve a unidade de dispersão.
  • Perigónio: Perianto simples ou duplo, não diferenciado, das flores haploclamídeas e homoclamídeas.
  • Perisperma: Tecido com substâncias de reserva que existe em muitas sementes externamente ao saco embrionário.
  • Persistente: Diz-se quando um órgão vegetal permanece afixado após o término da sua função.
  • Personada: Corola bilabiada em que o lábio inferior forma uma boça que fecha a garganta .
  • Pétala: Folha modificada, componente da corola.
  • Petalóide: Com a cor e a consistência das pétalas.
  • Pinada: Diz-se de uma folha composta quando está dividida em folíolos.
  • Pinha: Infrutescência com escamas dispostas sobre um eixo, provenientes de carpelos abertos de flores sésseis e nuas, tendo cada escama uma ou mais sementes (e.g. pinheiros).
  • Pinulada: Diz-se da folha composta, com os folíolos articulados lateralmente no pedúnculo comum, ou ráquis (= bipinulada).
  • Pirénio: Endocarpo de um fruto drupoide, indeiscente e carnoso; pode conter uma ou mais sementes (= putámen, caroço).
  • Piriforme: Em forma de pera.
  • Pisiforme: Subgloboso e do tamanho de uma ervilha.
  • Pistilada: Diz-se de flor feminina, que apenas tem gineceu ou somente gineceu fértil.
  • Pistilo: Conjunto do ovário e estigma, podendo este estar ou não suportado por um estilete. O pistilo pode ser constituído por um ou mais carpelos.
  • Pivotante: Diz-se da raiz que penetra verticalmente no solo e que apresenta raízes laterais, secundarias oblíquas em relação à principal (= raiz axial).
  • Pixídio: Cápsula com deiscência transversal, levantando-se a parte superior como a tampa de uma caixa.
  • Placenta: Região do carpelo onde estão presos os óvulos.
  • Placentação: Disposição das placentas, no ovário.
  • Pleiocásio: Inflorescência cimosa em que, por baixo do eixo primário, que termina em flor, se formam três ou mais ramos secundários, os quais, por sua vez, podem apresentar também ramificações.
  • Plicado: Com plicas ou pregas.
  • Plúmula: Folha pouco diferenciada que se encontra entre os cotilédones de alguns embriões e dá origem à parte aérea da planta.
  • Pólen: O conjunto dos minúsculos grãos produzidos pelas flores das Angiospérmicas (ou pelas pinhas masculinas das Gimnospérmicas) onde se encontram os gâmetas masculinos.
  • Poligâmica: Planta que possui flores hermafroditas e unissexuais, seja qual for a maneira como os três tipos de flores se encontrem combinados.
  • Polimorfismo: I. Fenómeno que consiste na existência de formas diversas do mesmo órgão, numa mesma planta; II. Manifestação, sob formas diversas, de uma mesma entidade sistemática.
  • Polinídia: Massa polínica, resultante da união dos grãos de pólen de um dos lóculos da antera.
  • Polinização: Passagem do pólen desde a antera até ao estigma, nas Angiospérmicas, ou até ao óvulo, nas Gimnospérmicas.
  • Polistémone: Diz-se do androceu quando o número de estames é maior do que o número de pétalas, porém, diferente do dobro.
  • Pomo: Fruto sincárpico, carnoso, indeiscente, multisseminado, originado por um ovário ínfero, no qual a principal parte carnuda deriva da úrnula da flor, com endocarpo coriáceo que forma pequenas câmaras ou antros, que encerram as sementes (e.g. a maçã).
  • Pontuado: Que tem pontos ou pequenas manchas arredondadas.
  • Poricida: Deiscente por poros.
  • Porte: Aspecto geral ou aspecto do crescimento habitual de uma planta (= hábito).
  • Prefloração: Disposição das peças florais no interior do botão floral.
  • Primária: Diz-se da raiz principal, longa e delgada, resultante do desenvolvimento da radícula do embrião.
  • Prostrado: Deitado na terra.
  • Proximal: Diz-se da parte de um órgão que está mais próximo do eixo ou do ponto em que insere. Opõe-se a distal.
  • Pruína: Pó da natureza da cera, que cobre certos frutos.
  • Psamófila: Qualidade de uma planta que requer solos arenosos.
  • Psamófito: Planta das areias, das dunas marítimas ou interiores.
  • Pseud(o): Prefixo usado na formação de palavras para exprimir falsidade ou semelhança.
  • Puberulento: Com pelos curtíssimos e pouco densos.
  • Pubescência: Indumento pubescente.
  • Pubescente: Coberto de pêlos curtos e macios.
  • Punctiforme: Em forma de pontos.
  • Pungente: Picante.
  • Purpurascente: Apurpurado.
  • Purpúreo: De cor púrpura.
  • Putámen: Parte central (caroço) das drupas (= Pirénio).
  • Quaternados: Disposto em quatro, à mesma altura.
  • Quilha: Saliência longitudinal semelhante à quilha de um barco. Nas Poaceae (=Gramineae) é uma dobra aguda ao longo das duas nervuras da pálea, ou ao longo da nervura mediana da lema. Nas corolas papilionáceas, é a peça inferior da corola, formadas pela união de duas pétalas. Nas Poligalaceae, é a pétala inferior, frequentemente fimbriada.
  • Quinados: Dispostos em cinco, à mesma altura.
  • Racemiforme: Em forma de racimo ou cacho.
  • Rácemo: = Cacho; rácimo.
  • Racemoso: Disposto em cacho ou que tem cachos.
  • Rácimo: = Cacho; Rácemo
  • Radiado: I. Diz-se do capítulo com flores marginais da corola ligulada e as restantes, de corola tubulosa; II. Que possui um eixo de simetria.
  • Radiante: I. Divergente, como os raios de uma estrela; II. Inflorescência, em geral capítulos, umbelas ou corimbos densos, nas quais as flores marginais têm pétalas externas ou os lobos exertos do limbo maiores e dirigidos para fora.
  • Radical: I. Referente à raiz, próprio da raiz; II. Diz-se das flores das plantas acaules, as quais parecem originar-se na raiz.
  • Radicante: Que produz raízes.
  • Radícula: O esboço da raiz, ainda no embrião.
  • Rafe: Saliência longitudinal do óvulo anatrópico devida à sua aderência ao funículo ou ao cordão que o prende à placenta. Linha elevada ou sulco que percorre o tegumento da semente, do hilo à calaza, e que provém da soldadura de uma porção do funículo de um óvulo anatrópico (anátropo) ou campilótropo com o integumento.
  • Raiado: Que tem riscas longitudinais.
  • Raio(s): Os pedicelos da umbela; os ramos em que se divide o pedúnculo de uma umbela.
  • Raiz: Órgão de fixação da planta ao solo, e através do qual são absorvidos nutrientes e água. (ver: adventícia, aérea, aquática, fasciculada, pivotante, secundaria, primária, seminais, tuberosa).
  • Ramificação: Disposição dos ramos sobre o tronco, ou sobre o eixo.
  • Ramificado: Que tem ramos ou ramificações.
  • Raminho: O rebento depois de lenhoso.
  • Ramos: Partes em que se divide um eixo.
  • Ramos primários: Ramos que partem directamente do eixo principal.
  • Ramos secundários: Ramos que se formam num eixo de segunda ordem.
  • Ramúsculos: As ramificações mais novas e mais delgadas de um sistema ramoso.
  • Raque: = Ráquis.
  • Ráquis: Eixo principal: o eixo principal de uma inflorescência grupada; o pecíolo comum de uma folha composta; a parte central indivisa de uma folha partida ou secta (= Raque).
  • Rastejante: Planta prostrada e radiante, que se desloca na terra pela destruição da parte posterior, mais velha, e pelo alongamento da parte anterior, mais nova.
  • Rebentão: Rebentos originados sobre as touças das árvores cortadas ou sobre as raízes laterais.
  • Rebento: O ramo novo, no estado herbáceo, de uma planta vivaz (= Renovo).
  • Receptáculo : I. A parte superior e alargada do eixo onde se inserem as peças florais; II. A parte terminal e alargada do pedúnculo onde se inserem as flores do capítulo ou os raios da umbela.
  • Reclinado: I. Curvado para fora e para baixo; II. Tipo de nervação em que as folhas se encontram dobradas transversalmente, de modo que o ápice fica próximo da base ou sobre o pecíolo.
  • Recomposta: Diz-se de uma folha que disponha de diversos limbos parciais (folíolos) de segunda ordem ou de ordem superior.
  • Rectinérvea: Diz-se da folha que apresenta várias nervuras rectas e longitudinais.
  • Reflectido: O mesmo que reflexo.
  • Reflexo: Curvo bruscamente para baixo, num ângulo superior a 90º.
  • Regular: Com mais de dois planos de simetria (= actinomórfico).
  • Relíquia: Taxon que vive em áreas limitadas, restos de uma antiga área extensa.
  • Reniforme: Em forma de rim.
  • Renovo: = Rebento.
  • Repandida: Diz-se da folha com a margem plana, levemente sinuosa.
  • Ressupinada: Diz-se da corola revirada: corola papilionácea com o estandarte virado para baixo e a quilha para cima; a corola labiada com o lábio superior para baixo e o inferior, para cima.
  • Reticuladas: Diz-se das nervuras anastomosadas que constituem uma rede.
  • Retículo: Pequena rede de malhas.
  • Retináculo: Pequena massa viscosa onde se prendem a(s) polinídia(s).
  • Retroflectido: Curso para trás, ou para baixo.
  • Retrorso: Voltado para trás ou para baixo.
  • Revoluto(a): Diz-se de uma folha com mos bordos enrolados ou voltados para trás ou para baixo.
  • Ripícola: Que vive na proximidade de rios.
  • Ritidoma: Casca seca, mais ou menos fendida e rugosa, que reveste os troncos e ramos grossos.
  • Rizoma: Caule subterrâneo, horizontal, rico em reservas, com folhas escamiformes, com capacidade de produzir raízes e caules em cada nó. Distingue-se das raízes pela presença de nós, gemas e escamas.
  • Rizomatoso: Que tem rizomas.
  • Rodada: Diz-se de corola simpétala, com o tubo curto e o limbo largo (dividido ou não), aberto em forma de roda ou roseta.
  • Rômbico: Diz-se de um órgão (folha, fruto ou semente) que tem um contorno de losango ou oval e um pouco angular na porção mediana.
  • Rombiforme: Que tem a forma de romboedro.
  • Rosácea: Corola dialipétala com 3 a 6 pétalas, geralmente 5, com unhas muito curtas e limbos bem desenvolvidos (e.g. rosa).
  • Roseta: Reunião de folhas muito juntas, em redor da base de um caule central.
  • Rostro: Prolongamento apical de um órgão (fruto ou semente) que termina em ponta dura, longa e recta, formada pelos estiletes concrescidos e persistentes.
  • Rosulado: Quando os entrenós são tão curtos que as folhas parecem surgir todas do mesmo ponto, formando uma estrutura compacta denominada roseta (e.g. espirradeira).
  • Rotácea: Corola gamopétala com tubo curto e limbos bem patentes (e.g. Solanum).
  • Rotada: Diz-se de uma corola gamopétala, de tubo muito curto e estreito que lembra o eixo de uma roda, com o limbo circular, expandido e perpendicular ao tubo.
  • Ruderal: Vegetação ou planta que vive em meios resultantes da actividade humana (escombros, entulhos, estrumeiras, etc.) caracterizados pela alta percentagem de azoto.
  • Rudimentar: Que parou de crescer num estado precoce do desenvolvimento.
  • Rugoso: Que tem rugas.
  • Ruguloso: Que tem pequenas rugas.
  • Ruminado: Provido de múltiplas fissuras, como a noz moscada, ou de aspecto irregular.
  • Runcinado: Diz-se de uma folha que apresenta numerosos recortes voltados para a base.
  • Rupestre: Vegetal que cresce sobre paredes, muros, rochedos ou afloramentos rochosos (= Rupícola).
  • Rupícola: Que vive sobre paredes, muros, ou afloramentos rochosos (= Rupestre).
  • Rúptil: Que se rompe irregularmente.
  • Sabreforme: Em forma de sabre, curvado, carnoso, plano dos dois lados, margem grosso-côncava e outra delgado-convexa.
  • Saco-embrionário: Nas Angiospérmicas, é a massa no centro do óvulo que contem a oosfera. Forma-se a partir de uma célula do nucelo, a célula-mãe do saco embrionário (ou célula-mãe dos megásporos), célula esta que, nos óvulos imaturos, se encontra próxima do micrópilo e é maior que qualquer das células do núcleo. Esta célula, por meiose, origina quatro células haploides. Destas quatro células, três degeneram, e uma desenvolve-se, dando origem ao saco embrionário que representa o Macrósporo (= Macrosporângio).
  • Saco-polínico: Nas Angiospérmicas, são as células especializadas da antera que produzem os grãos de pólen.
  • Sagitada: Diz-se de um órgão foliáceo que tem ápice agudo e base com lobos basais rectos, dirigidos para trás e em forma de seta ou bilabiados.
  • Saliente: Que excede ou sai além (e.g. estames salientes: que saem além da corola); (= exerto).
  • Sâmara: Fruto mucoide, simples, seco, indeiscente, monocarpelar; com projecções membranares do perianto em forma de ala, ou asa, desenvolvidas na parece ovariana. É um aquénio alado.
  • Sarmentosa: Planta com caule lenhoso, flexível, trepador.
  • Seco: Diz-se do fruto com o pericarpo pouco desenvolvido e que seca quando o fruto amadurece.
  • Secretor: Que segrega ou produz secreção.
  • Secundária: Diz-se da raiz que emerge da raiz primária.
  • Seda: Pelo rígido e forte (Em latim, seta = pêlo áspero).
  • Segmento: Cada uma das partes em que o todo se divide.
  • Seio: Reentrância mais ou menos funda entre dois lobos.
  • Seiva: Líquido nutritivo que percorre a planta.
  • Semente: Parte do fruto que inclui o embrião. Em sentido amplo, é toda a estrutura que serve para reproduzir o vegetal.
  • Semidecídua: Planta que perde parcial ou quase totalmente as folhas durante um período do ano (Inverno); porém, nunca fica totalmente desfolhada.
  • Seminação: Dispersão natural das sementes (= disseminação).
  • Seminais: Designação atribuída à raiz primária e um certo número de raízes secundárias, que se originam no eixo embrionário e formam o sistema radicular de uma plântula de cereais.
  • Seminífero: Que tem semente ou sementes.
  • Semínula: Pequena semente.
  • Sépala: Folha modificada, geralmente verde, componente do cálice das flores.
  • Sepaloide: Com a consistência e a cor habitual das sépalas.
  • Septado: Que tem septos ou divisórias.
  • Septicida: Diz-se da deiscência de uma cápsula plurilocular que se abre por fendas longitudinais localizadas no meio dos septos: cada valva, ao separar-se, traz aderente na margem, dos dois lados, metade longitudinal de um septo.
  • Septo: I. Tabique interno, divisória; II. Lâminas que dividem o interior dos frutos compostos em compartimentos e que resultam da concrescência das paredes dos carpelos contíguos.
  • Seriado: Que se dispõem fila ou filas, quer longitudinais, quer transversais.
  • Seríceo: Com indumento de pelos longos, finos e aplicados e brilhantes, que conferem à superfície revestida um brilho sedoso (= sedoso).
  • Serrada: Diz-se da margem de uma folha que apresenta aguçados dentes dirigidos para cima.
  • Serrilhado: Serrado, com dentes muito pequenos.
  • Serrulado: Diz-se quando a margem de uma folha apresenta diminutos dentes dirigidos para o ápice.
  • Séssil: Diz-se de um órgão vegetal desprovido de haste (pedicelo, pedúnculo ou filete).
  • Setiforme: Em forma de seda.
  • Setígero: Que tem sedas.
  • Setoso: Coberto de sedas.
  • Sícone: Inflorescência piriforme ou subglobosa formada por um receptáculo quase completamente fechado, suculento ou carnudo, em cujo lado interior se inserem numerosas flores que originam pequenos aquénios, em grande parte abortados. É o “fruto” da figueira (Ficus carica) e de outras espécies do género Ficus (Figo).
  • Silicícola: Diz-se da planta ou da associação que habita solos siliciosos.
  • Silícula: Fruto semelhante à silíqua, mas com o comprimento quase igual à largura, ou um pouco maior.
  • Silíqua: Fruto seco, mais comprido do que largo. Com placentação parietal, dividido em dois lóculos por um falso septo e, normalmente, deiscente por duas valvas laterais. As sementes ficam presas ao falso septo. É o caso do fruto das Cruciferae.
  • Simpétala: Corola com as pétalas mais ou menos aderentes entre si.
  • Sinantérico: Estames com as anteras concrescentes.
  • Sincárpico: Fruto proveniente de um ovário composto de dois ou mais carpelos aderentes entre si.
  • Sincárpico: Carpelos unidos.
  • Sinistrorsa: Hélice em que o observador, colocado no eixo, vê as espiras enrolarem-se da direita para a esquerda.
  • Sinsépalo: Diz-se do cálice em que as sépalas se encontram mais ou menos aderentes entre si.
  • Sinuado: Limitado por uma linha de curvas arredondadas, alternadamente côncavas e convexas.
  • Solanídeo: Fruto bacoide, carnoso, indeiscente, multisseminado, originado de um ovário simples ou composto, com pericarpo carnoso, com dois ou mais lóculos e cavidade central cheia de polpa carnosa n (de origem placentar). Exemplos: Fruto dos géneros Physallis, Solanum (Solanaceae), Psidium (Mystaceaea).
  • Soro: Grupo de esporângios das Criptogâmicas vasculares.
  • Sorose: Reunião de frutos carnudos provenientes das várias flores de uma inflorescência grupada, com as brácteas e os eixos também carnudos.
  • Subarbusto: Pequena planta, em geral inferior a um metro, só lenhosa na base, sempre herbácea na parte restante.
  • Suberoso: Formado de cortiça, ou com a consistência da cortiça.
  • Subespontânea: Planta deslocada pelo Homem, acidenta ou propositadamente, de uma região para outra, onde não existia, e que aí se adapta, se multiplica e se propaga sem a intervenção do Homem.
  • Submersa: Diz-se de planta aquática, completamente mergulhada.
  • Subulado: = assovelado.
  • Suculento: Com suco ou sumo.
  • Sulcado: Que tem sulcos mais ou menos profundos.
  • Sulfúreo: Amarelo, cor de enxofre.
  • Súpero: Diz-se do ovário situado acima da corola ou do perianto, livre de aderências com outras peças florais.
  • Sutura: Linha de união de duas superfícies.
  • Sutural: Diz-se da deiscência que se realiza pela linha de sutura, ou pelas linhas de sutura dos carpelos, no caso de um ovário composto.
  • Tabique: Divisória.
  • Tardio: Serôdio.
  • Taxa: Plural de taxon. Grupo de seres vivos com características semelhantes, podendo compreender vários níveis (e.g. género, espécie, subespécie, etc.).
  • Taxon: Unidade taxonómica correspondente a qualquer nível de um sistema de classificação (e.g. reino, classe, ordem, género, espécie...).
  • Tearâneo: Coberto de pelos compridos.
  • Tégmen: Tegumento interno da semente, quando o óvulo tem originalmente dois integumento (priminha ou íntima e a secundina ou exina).
  • Tegumento: Casca; estrutura externa que envolve a semente e protege o embrião e o endosperma.
  • Tépala: Folha modificada, componente do perianto não diferenciada.
  • Terminal: Situado no cimo de um outro órgão.
  • Terófito: Categoria de plantas anuais que passam a estação desfavorável sob a forma de sementes. Este grupo completa rapidamente o seu ciclo de vida, sobrevivendo aos períodos desfavoráveis como sementes incluías no banco de sementes do solo. A maioria das plantas dos desertos são terófitos.
  • Tetradinâmicos: Diz-se dos estames em número de seis, mas em que quatro são iguais entre si e maiores, e os outros dois restantes, iguais um ao outro.
  • Tetrástico: Com quatro séries, ou inseridos em quatro séries, opostas duas a duas, ao longo de um eixo comum.
  • Tirso: Cacho, de ordinário composto, com os pedicelos diminuindo progressivamente do meio para as duas extremidades.
  • Tirsoide: Semelhante a um tirso.
  • Tomento: Diz-se da superfície de um órgão com pubescência densa e lanosa.
  • Tomentoso: Diz-se da superfície de um órgão que se apresenta revestida de tomento.
  • Toruloso: Com saliências mais ou menos pronunciadas alternando com depressões.
  • Touça (Toiça): A parte da planta formada pela base do caule e pela raiz; o que resta na terra quando se corta uma árvore.
  • Trepadora: Planta de caule débil que se eleva segurando-se a outras plantas ou a corpos vizinhos.
  • Tricotomicamente: Dividido sucessivamente em três ramos, a partir da mesma altura.
  • Trigonal: Com três ângulos.
  • Trinérvea: Diz-se de folha com três nervuras longitudinais.
  • Tripartida: Diz-se de folha partida em três segmentos.
  • Trissepta: Diz-se de folha dividida profundamente, até ao pecíolo, em três segmentos.
  • Troncado: Terminado repentinamente, em sentido perpendicular ao eixo.
  • Tronco: Caule lenhoso das Gimnospérmicas e Dicotiledóneas com a forma cónica mais ou menos alongado.
  • Túbera: Tubérculo irregular.
  • Tubérculo: Órgão volumoso, com parênquima abundante de reservas nutritivas.
  • Tuberosa: Diz-se da raiz principal em que a porção próxima da superfície do solo é muito desenvolvida, formando um tubérculo (e.g. beterraba).
  • Tubo polínico: Protalo masculino das Espermatófitas, especialmente das Angiospérmicas, com aspeto de tubo ou fita, que germina do estigma, penetra do estilete em direcção ao ovário até alcançar o saco-embrionário.
  • Tubular: Corola gamopétala em forma de tubo, com pétalas de limbo curto (e.g. compostas).
  • Túnica(s): Folhas modificadas do bolbo, grossas e suculentas ou papiráceas.
  • Turbinado: Em forma de pião.
  • Túrgido: Inchado.
  • Turião: Rebento aéreo de origem subterrânea.
  • Turionais: Pertencentes ao turião.
  • Ubíqua: Espécie que ocorre em toda a parte, podendo viver em meios muito diversos.
  • Umbela: Inflorescência grupada com o pedúnculo dividido em diversos ramos ou raios, que suportam as flores (umbela simples) ou se tornam a ramificar constituindo pequenas umbelas secundárias (umbela composta).
  • Umbelada: Disposta em umbela.
  • Umbelífero: Provido de umbelas.
  • Umbeliforme: Em forma de umbela.
  • Umbilicado: Com uma depressão em forma de umbigo
  • Umbomado: Que tem no centro uma proeminência mamiliforme, tal como o chapéu de alguns fungos.
  • Umbrosa: Diz-se de uma planta própria de lugares sombrios.
  • Uncinado: Que é em forma de gancho ou de garra, na extremidade.
  • Unguiculado: Provido de unha(s).
  • Unha: A parte interior, mais alongada ou mais estreita, da pétala ou da tépala, por onde se faz a sua inserção.
  • Urceolada: Corola gamopétala em forma de tubo ventrudo (e.g. flor das Erica).
  • Urceolado: Oco e em forma de odre ou gomil, isto é, subgloboso ou ovóide, contraído na boca.
  • Úrnula: Invólucro em forma de urna, seco ou carnudo, constituído pelo receptáculo escavado e pela parte inferior do cálice, da corola e do androceu aderentes, onde ficam incluídos, primeiro, os ovários e, depois, os frutos.
  • Urticante: Diz-se da superfície de um órgão (folha, fruto ou semente) que se apresenta revestida de duros pelos de ponta aguda e que provocam irritação cutânea (e.g. folhas de Urtica).
  • Utricoloso: Que é semelhante a utrículo, ou que tem utrículo.
  • Utrículo: O invólucro, com a forma de pequeno saco, que rodeias a flor feminina e o aquénio das espécies do género Carex.
  • Vagem: Fruto seco, unicarpelar, normalmente deiscente em duas valvas.
  • Valécula: Sulco mais ou menos profundo que fica entre as costelas (linhas de relevo) dos carpídios das Apiaceae (= Umbelliferae).
  • Valva: Cada uma das porções de vários frutos (cápsula ou silíqua) que se separam na maturação.
  • Valvar: I. Cada uma das peças em que se dividem longitudinalmente as cápsulas, para a saída das sementes; II. Designa também as tépalas acrescentes do perianto do género Rumex.
  • Válvula: Pequena tampa lateral, que se levanta de baixo para cima.
  • Valvular: Que tem válvulas.
  • Vardascoso: Caule herbáceo e flexível como uma vardasca.
  • Vegetativo: Que desempenhas funções vitais ou de propagação, sem intervenção da sexualidade.
  • Velutino: Coberto de pelos curtos, densos, macios, dando o aspecto de veludo.
  • Ventricoso: Mais pronunciadamente dilatado de um lado do que do outro.
  • Ventrudo: Barrigudo.
  • Vermicular: Em forma de verme.
  • Vernal: Diz-se das folhas ou rebentos produzidos na Primavera.
  • Verruciforme: Em forma de verruga.
  • Verrugoso: Que tem verrugas ou excrescências.
  • Verticilado: Disposto em verticilo. Diz-se das folhas quando 3 ou mais se dispõem em cada nó formando um verticilo foliar
  • Verticilastro: Cimeiras multifloras mais ou menos contraídas, dispostas nas axilas de folhas ou de brácteas opostas., apresentando, no conjunto, o aspecto de verticílos em vota do eixo.
  • Verticilo: Conjunto de peças florais (cálice, corola, estames e pistilo) dispostas em torno de um eixo, sobre o qual se inserem, no mesmo nó, ao mesmo nível.
  • Viloso(a): Diz-se da superfície de um órgão que se apresenta revestida com pelos macios e delicados.
  • Vivaz: Planta herbácea cuja parte subterrânea vive vários anos e cuja parte aérea se renova anualmente.
  • Volúvel: Que se enrola em hélice.
  • Xerófilo: Que vive em lugares secos. Também usado para designar a estrutura das folhas das plantas xerófilas.
  • Xerófita: Diz-se da planta que é capaz de crescer em lugares áridos, em solos com pouca humidade disponível.
  • Xeromórfico: Diz-se de órgão vegetal protegido contra a seca excessiva (= xeromorfo).
  • Xeromorfo: = xeromórfico.
  • Xeromorfose: Modificação dos órgãos vegetais por efeito da seca.
  • Xilopódio: Órgão subterrâneo, lignificado, encontrado por vezes nas plantas xerófitas.
  • Zigomórfica: Com um único plano de simetria bilateral.
  • Zoocórica: Planta cuja disseminação é feita por intermédio de animais.
  • Zoófila: Diz-se da polinização efectuada por animais.