Nome Científico: Lanius meridionalis Temminck, 1820

Nome Comum: Picanço-real

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Laniidae
Género Lanius
Espécie L. meridionalis

Sinonímias: Lanius excubitor meridionalis

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se de um passeriforme de médio porte, que se caracteriza, sobretudo, pela plumagem dorsal cinzento-azulada e pela existência de uma marcada mascarilha preta. A cabeça é grande e proeminente, exibindo um bico preto e robusto, relativamente comprido e com a ponta superior recurvada, semelhante aos das aves de rapina. O ventre é esbranquiçado, com tonalidades rosadas. Nas asas, destacam-se as rémiges primárias, secundárias e terciárias de cor negra, e uma mancha branca nas penas de cobertura maiores, bem visível na face superior das asas, quando em voo. A cauda é comprida e maioritariamente negra, apenas com as rectrizes exteriores brancas. As patas são negras e compridas. O comportamento mais característico da espécie é o hábito de espetar as presas capturadas (e.g. lagartixas) em espinhos ou no arame farpado, como forma de armazenar alimento.

Ocorre, preferencialmente, em zonas abertas intercaladas com matagais ou na orla dos bosques. Também frequenta áreas agrícolas e pastagens, sendo frequentemente avistado no cimo de postes ou pousado em fios de transporte de energia, erguidos nas bermas de caminhos rurais.

Em Portugal continental distribui-se de norte a sul, ao longo de todo o território, mas em baixas densidades. É mais frequente no interior norte e no sul do país, sendo comum, sobretudo, no Alentejo.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana






Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Portal "Aves de Portugal"
Onde observar:

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial do Lanius meridionalis na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO