Nome Científico: Carduelis spinus (Linnaeus, 1758)

Nome Comum: Lugre, Pintassilgo-verde

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Fringillidae
Género Carduelis
Espécie C. spinus

Sinonímias: Acanthis spinus, Spinus spinus

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se de um passeriforme de plumagem predominantemente amarela, com tonalidades esverdeadas no dorso. As asas apresentam as rémiges negras, separadas das penas de cobertura por uma risca amarelada. A zona ventral é esbranquiçada e listrada de negro, pormenor mais evidente nas fêmeas e nos juvenis, estes últimos com o peito e o ventre notoriamente marcados. A característica mais marcante é a coroa e testa pintadas de negro, sobretudo nos machos adultos. Tal característica ocorre de forma menos marcada nas fêmeas. O bico é cónico e robusto, típico de uma ave granívora.

Ocorre numa grande variedade de habitats, preferencialmente em bosques e matas de folhosas, galerias ripícolas, pomares, mas também em jardins ou parques urbanos.

Trata-se de uma espécie invernante em Portugal continental, que ocorre um pouco por todo o território nacional. No entanto, os seus números variam consideravelmente de ano para ano, alternando anos de escassez com outros de abundância, conhecidos como "anos de lugres". Ocorre também no arquipélago da Madeira, onde se distribui de forma localizada, tendo sido a sua nidificação confirmada em 2002, na Ilha da Madeira.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural da Serra de São Mamede






Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Portal "Aves de Portugal"
Onde observar:

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial do Carduelis spinus na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO