Nome Científico: Vanellus vanellus (Linnaeus, 1758)

Nome Comum: Abibe, Ave-fria

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Charadriiformes
Família Charadriidae
Género Vanellus
Espécie V. vanellus

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Destaca-se pelos penachos negros que se erguem na nuca, especialmente durante a época estival. A cabeça é preta e branca, o bico escuro e os olhos negros. A plumagem dorsal, apesar de parecer escura à distância, é colorida e iridescente, reflectindo tonalidades violáceas, azuladas e esverdeadas. Apresenta um colar negro, que se estende pela garganta. A zona peitoral e ventral é branca, contrastando com a restante plumagem, perfeitamente observável quando em voo. Nas asas, durante o voo, é possível observar a cor branca das penas de cobertura, e o negro das rémiges primárias e secundárias. Nessa altura, torna-se também visível o uropígio alaranjado. A cauda é branca, com uma faixa terminal negra. As patas são compridas e alaranjadas. Geralmente, é avistado em grandes bandos.

Trata-se de uma ave limícola que ocorre numa grande variedade de biótopos húmidos, preferencialmente em áreas abertas com pouca vegetação, tais como prados, pastagens ou zonas de lavradio. Pode formar grandes bandos.

Trata-se de uma ave invernante, que em Portugal continental pode ser observada um pouco por todo o território, principalmente na metade sul do país, onde é consideravelmente mais abundante. Com a chegada da Primavera, a sua presença diminui drasticamente.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana







Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Portal "Aves de Portugal"
Onde observar:

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial do Vanellus vanellus na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO