Nome Científico: Passer domesticus (Linnaeus, 1758)

Nome Comum: Pardal-comum, Pardal-dos-telhados

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Passeridae
Género Passer
Espécie P. domesticus

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Trata-se de um passeriforme com cerca de 15 a 16 cm, com um acentuado dimorfismo sexual. O macho apresenta um padrão muito característico na cabeça: faces claras, máscara preta nos olhos, testa e coroa cinzentas, e uma banda bordô (cor-de-vinho) que parte dos olhos até à nuca, pintando-lhe as áreas laterais e traseira da cabeça. O bico é negro, de formato cónico e robusto, característico das aves granívoras. O queixo e a garganta são pretos, formando uma mancha negra em forma de babete, bem visível, que contrasta com o branco do peito e da zona ventral. Na zona dorsal apresenta um padrão malhado de castanhos e preto. A cauda é acastanhada e as patas, rosadas. As fêmeas têm uma coloração mais uniforme, de tons castanhos-claros. A cabeça é clara, de tonalidade bege, exibindo uma banda mais clara, por vezes ténue, que vai dos olhos até à nuca. O bico é mais claro, entre o amarelado e o rosado. A mancha negra na garganta está ausente, sendo homogeneamente esbranquiçada nas zonas peitoral e ventral. O dorso é malhado, semelhante ao do macho.

Espécie presente em vários tipos de biótopo, sendo omnipresente tanto em zonas rurais como urbanas, ocorrendo de forma assídua e abundante em áreas agrícolas, aldeias, vilas, cidades e outros agregados populacionais.

É uma espécie muito comum, abundante e amplamente distribuída em Portugal continental. Ocorre uniformemente ao longo de todo o território, tanto do norte ao sul como do litoral ao interior do país. Foi introduzida no arquipélago dos Açores.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Natural de Montesinho






Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Portal "Aves de Portugal"
Onde observar:

Origem e colonização de passer domesticus L. (pardal-comum) no Arquipélago dos Açores.
Medeiros (1994)

Le moineau domestique (Passer domesticus) aux Açores : colonisation, stratégie et conséquences.
Le Grand (1983)

Acerca da proliferação de pardais nos Açores.
Furtado (1979)

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial do Passer domesticus na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO