Nome Científico: Dittrichia viscosa (L.) Greuter subsp. viscosa

Nome Comum: Táveda, tágueda, énula-pegajosa

Classificação Científica:
Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta (Angiospermae)
Classe Magnoliopsida
Ordem Asterales
Família Asteraceae
Género Dittrichia
Espécie D. viscosa
Subespécie D. viscosa viscosa

Sinonímias: Cupularia viscosa, Erigeron viscosus, Inula viscosa, Jacobaea viscosa

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Trata-se de um pequeno arbusto (0,5 a 1,5 m) caducifólio, vivaz, muito ramoso, densamente glanduloso, viscoso e aromático. Planta lenhosa na base, com renovos robustos; ramos erectos. Folhas: caulinares amplexicaules, lineares e lanceoladas, levemente serrilhadas nas margens (ou não), pegajosas. Inflorescências: flores amarelas, organizadas em capítulos heterogâmicos, pequenos, com receptáculos ligeiramente convexos, alveolados; flores marginais femininas com corola ligulada, e as do disco, hermafroditas, com corola tubulosa, 5 dentada; lígulas bastante maiores do que as flores do disco; invólucro de brácteas plurisseriadas e imbrincadas, escariosas, persistentes; capítulos reunidos em panículas. Fruto: cipsela (± 2 mm) com papilho de cerdas uniseriadas, inseridas em anel. Floresce de Junho a Outubro.

Planta ruderal que ocorre em clareiras de matos xerófilos (secos), pastagens abandonadas, pousios, campos agrícolas incultos, bermas de caminhos, baldios e margens de linhas de água degradadas. Trata-se de uma espécie colonizadora de áreas perturbadas.

Ocorre praticamente em todo o território português, à excepção do Algarve, em que dá lugar à subespécie Dittrichia viscosa revoluta. É autóctone de Portugal continental e do arquipélago da Madeira, tendo sido introduzida no arquipélago dos Açores.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Natural de Montesinho



Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Flora-On: Flora de Portugal Interactiva (2014) | Sociedade Portuguesa de Botânica.

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Autor: Jorge Araújo