Nome Científico: Libellula depressa Linnaeus, 1758

Nome Comum: Libélula-achatada

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Arthropoda
Classe Insecta
Ordem Odonata
Família Libellulidae
Género Libellula
Espécie L. depressa

Sinonímias: Ladona depressa, Platetrum depressa

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Libélula de abdómen azul (macho), largo e achatado, com manchas amareladas nos flancos que desaparecem com a maturação. Nas asas apresenta manchas basais acastanhadas, bem marcadas. A fêmea é cor-de-bronze e apresenta um abdómen mais robusto, com manchas amareladas mais pronunciadas. Destacam-se as faixas antehumerais bem marcadas em ambos os sexos. Os pterostigmas são negros em ambos os casos.

Tem uma grande plasticidade ecológica, ocorrendo principalmente em cursos de água com pouca corrente, tal como em lagoas.

Em Portugal continental encontra-se muito dispersa, sendo mais abundante no interior norte e centro. Ocorre até aos 900 m de altitude.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Natural de Montesinho




Sem ameaças a destacar

Sem medidas a destacar

Ligações Externas

Autor: Beatriz Bispo (sob supervisão do MVBIO)