Nome Científico: Physospermum cornubiense (L.) DC.

Nome Comum: n/a

Classificação Científica:
Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta (Angiospermae)
Classe Magnoliopsida
Ordem Apiales
Família Apiaceae
Género Physospermum
Espécie P. cornubiense

Sinonímias: Danaa cornubiensis, Ligusticum cornubiense, Physospermum aquilegiaefolium, P. aquilegifolium, P. aquilegiifolium

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Herbácea perene. Caules: 50 a 150 cm, sólidos, estriados, não ramificados excepto na parte superior. Folhas: basais (15 a 20 cm), pinatissectas (2 a 3), com longos pecíolos; folhas caulinares reduzidas, bracteiformes ou nulas. Inflorescências: umbelas compostas por 10 a 15 umbélulas, cada uma com 10 a 20 flores brancas, metade hermafroditas, metade masculinas; brácteas e bractéolas lanceoladas o lineares e agudas, pequenas; cálice com 5 dentes triangulares, minúsculos; pétalas (1,5 a 1 mm) homogéneas, com o ápice fortemente encurvado; gineceu com 2 estiletes erectos, no início, mas reflectidos durante a frutificação. Fruto: esquizocarpo que origina 2 mericarpos ovóides. Floresce de Maio a Setembro.

Ocorre em matos acidófilos (e.g. urzais, tojais) e no sob-coberto de bosques caducifólios (ensombrados), sobre solos ácidos, pobres em azoto e moderadamente secos, desde os 90 aos 1800 m de altitude.

Na Península Ibérica ocorre, sobretudo, no quadrante noroeste. Em Portugal continental distribui-se por todo o território, excepto no Baixo Alentejo e Algarve.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural da Serra de São Mamede
Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Natural de Montesinho

Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Ver descrição detalhada na Flora iberica (1986-2012)

Flora-On: Flora de Portugal Interactiva (2014) | Sociedade Portuguesa de Botânica.

Autor: Jorge Araújo