Nome Científico: Tamarix africana Poiret

Nome Comum: Tamargueira, tamarga, tamariz, grossas

Classificação Científica:
Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta (Angiospermae)
Classe Magnoliopsida
Ordem Caryophyllales
Família Tamaricaceae
Género Tamarix
Espécie T. africana

Sinonímias: Tamarix hispanica, T. tigitana

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Árvore ou arbusto perenifólio, até 6 m de altura. Ramos: largos e flexíveis, com ritidoma pardo ou purpúreo. Folhas: alternas, escamiformes, sésseis, com limbo agudo até 3 mm, uniformemente verde escuro, com a margem membranosa semitransparente. Inflorescências: cachos espiciformes, cilíndricos com 5 – 8 mm de diâmetro, geralmente assentes nos ramos grossos do ano anterior; flores brancas ou rosa-pálido (2 a 3 mm), corola com 5 pétalas. Floresce de Março a Junho.

Trata-se de uma espécie ripícola que ocorre em solos húmidos, preferencialmente siliciosos, próximos dos cursos de água, lagos ou lagoas, de água doce ou salobra (ocasionalmente em solos salinos), assim como em linhas de água temporárias, sobre solos secos e pedregosos. Ocorre desde o nível do mar até aos 800 m de altitude. Quando é espécie dominante, dá origem aos tamargais.

Distribui-se pela Europa ocidental, bacia mediterrânica e Marrocos. Em Portugal continental ocorre em todo o território a sul do rio Tejo e, pontualmente, no norte litoral.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Parque Natural do Vale do Guadiana

Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Ver descrição detalhada na Flora iberica (1986-2012)

MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra

Flora-On: Flora de Portugal Interactiva (2014) | Sociedade Portuguesa de Botânica.

Autor: Jorge Araújo