Nome Científico: Arthrocnemum macrostachyum (Moric.) Moris

Nome Comum: Sapeira, salicórnia

Classificação Científica:
Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta (Angiospermae)
Classe Magnoliopsida
Ordem Caryophyllales
Família Amaranthaceae
Género Arthrocnemum
Espécie A. macrostachyum

Sinonímias: Arthrocnemum glaucum, Salicornia glauca, S. macrostachya

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Arbusto lenhoso na base, muito ramificado, de até 1,5 m de altura. Ramos: erectos, articulados com segmentos carnosos, glabros, acinzentados, tornando-se verde-amarelados ou vermelhos; os ramos férteis são geralmente mais curtos do que os estéreis. Folhas: opostas, escamiformes; as da base amplexicaules, soldadas na base e ao caule, com o limbo reduzido a uma escama aguda. Inflorescências: flores hermafroditas dispostas em 2 glomérulos de 3 flores cada, opostos em cada nó e parecendo incluídos em escavações do caule (pela aderência às brácteas persistentes); 2 glomérulos por artículo; o conjunto dos glomérulos dispostos em espigas estrobiliformes, terminais articuladas; perianto ventrudo, troncado-dentado formado por 4 tépalas soldadas, carnudas; androceu com 2 estames hipogínicos, anteras claramente exertas na antese; gineceu com ovário súpero, dois estiletes (aderentes na base) e 2 estigmas. Fruto: núcula de pericarpo membranoso; sementes negras, brilhantes e finamente reticuladas. Floresce de Abril a Junho.

Ocorre nos matos halófilos (sobre substratos salgados), em sapais e estuários.

Distribui-se pelo litoral da Península Ibérica e pelas Ilhas Baleares. Em Portugal continental ocorre ao longo da linha de costa, desde a Beira Litoral ao Algarve.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado

Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Ver descrição detalhada na Flora iberica (1986-2012)

Flora-On: Flora de Portugal Interactiva (2014) | Sociedade Portuguesa de Botânica.

Autor: Jorge Araújo