Nome Científico: Pancratium maritimum L.

Nome Comum: Narciso-das-areias, lírio-das-areias, cebola-do-mar, cebola-das-gaivotas

Classificação Científica:
Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta (Angiospermae)
Classe Liliopsida
Ordem Asparagales
Família Amaryllidaceae
Género Pancratium
Espécie P. maritimum

Sinonímias: Hymenocallis caroliniana, H. lacera, H. maritima, H. ruizii, Pancratium abchasicum, P. aegyptiacum, P. angustifolium, P. barcinonense, P. carolinianum, P. linosae, P. maritimum var. aureum, P. maritimum f. barcinonense, P. mirennae, Scilla parva

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Planta herbácea, perene, com escapo comprimido, glauco, proveniente de um bolbo grande situado em profundidade (estratégia de resistência ao movimento das areias). Atinge uma altura de 50 cm (aprox.). Folhas: grossas, planas, basais, oblongo-lineares e glaucas, sem pecíolo, maiores do que o caule (podem secar ainda no período de floração quando a estação for particularmente quente). Inflorescências: umbeliformes (3 a 9 flores), espata basal formada por 2 brácteas membranosas, secas; flores brancas, hermafroditas, aromáticas, infundibuliformes; corola formada por um tubo longo e gradualmente dilatado em coroa, tubo maior do que a coroa que apresenta 12 dentes triangulares; tépalas linear-lanceoladas, com nervura dorsal verde; 6 sépalas petalóides mais longas que a corola; androceu com filetes inseridos na parede interna da corola; anteras amareladas, lineares, dorsifixas, exertas; gineceu com ovário elipsoidal, estilete alargado, filiforme, estigma capitado. Fruto: pseudo-cápsula globosa, com numerosas sementes negras, grandes mas muito leves, adaptadas à dispersão pelo vento ou pelas marés. Floresce e frutifica de Maio a Setembro.

Ocorre em areais e dunas do litoral, até aos 50 m (máx. 80) de altitude.

Distribui-se ao longo da costa Atlântica e pela Região Mediterrânica. Em Portugal continental ocorre ao longo de toda a costa litoral, do norte ao sul do território. Introduzida no arquipélago dos Açores.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Reserva Natural do Estuário do Sado




Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Ver descrição detalhada na Flora iberica (1986-2012)

Flora-On: Flora de Portugal Interactiva (2014) | Sociedade Portuguesa de Botânica.

Autor: Jorge Araújo