Nome Científico: Aegypius monachus (Linnaeus, 1766)

Nome Comum: Abutre-preto

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Accipitriformes
Família Accipitridae
Género Aegypius
Espécie A. monachus

Sinonímias: Vultur monachus

Estatuto de Conservação: CR - Criticamente Ameaçado

Trata-se de uma ave de rapina de grande porte (até 1,10 m de comprimento), caracterizada pela sua silhueta castanho-escura, praticamente negra. Assemelha-se ao grifo (Gyps fulvus), sendo, no entanto, um pouco maior (pode alcançar os 3 m de envergadura) e de plumagem marcadamente mais escura. A cabeça é desprovida de penas, encontrando-se coberta por uma penugem mais clara. Exibe uma penugem castanho-escura, quase negra, em redor dos olhos, fazendo lembrar uma máscara. O bico é robusto e encurvado, branco-azulado na zona proximal e negro na ponta. O pescoço encontra-se coberto por um tufo de penas negras. Ao contrário do grifo, durante o voo mantém as asas ligeiramente arqueadas para baixo. A cauda é arredondada, mas mais pontiaguda que a de um grifo. As patas são esbranquiçadas. Os juvenis apresentam as coberturas sub-alares quase pretas, que vão aclarando à medida que amadurecem.

Ocorre em terrenos remotos, revestidos por matagais arborizados com azinheira (Quercus rotundifolia) ou sobreiro (Q. suber), os quais escolhe para nidificar. Fazem o ninho no topo das árvores, até 20 m do solo. O habitat de alimentação compõe-se por áreas cerealíferas e de pastoreio extensivo, ou mesmo por matos pouco densos.

Relativamente raro em Portugal continental, ocorre com maior regularidade ao largo da região fronteiriça entre a Beira Baixa e o Baixo Alentejo. Visita, esporadicamente, a região do Douro internacional.






> Destruição/degradação do habitat de alimentação e de nidificação (e.g. destruição das florestas autóctones, arborizações)
> Redução da disponibilidade trófica (e.g. recolha obrigatória dos cadáveres de gado no campo)
> Linhas aéreas de distribuição e transporte de energia (mortalidade por electrocussão)
> Instalação de parques eólicos (mortalidade por colisão)
> Perturbação humana em zonas de nidificação (e.g. actividades agro-silvícolas, cinegéticas, turismo e lazer, construção de infraestruturas viárias)
> Perseguição humana (abate ilegal, envenenamento propositado ou acidental)
> Aumento da utilização de agroquímicos

Espécie prioritária para a conservação, listada no Anexo A-I (espécies de aves de interesse comunitário cuja conservação requer a designação de zonas de protecção especial) do Decreto-Lei nº 140/99, de 24 de Abril.

> Manter ou recuperar os habitats de reprodução e de alimentação (e.g. activação de alimentadores artificiais, construção de plataformas de nidificação ou ninhos artificiais)
> Fixar uma população reprodutora permanente em Portugal (e.g. construção de plataformas de nidificação ou ninhos artificiais)
> Incrementar o efectivo populacional
> Implementar um programa nacional de erradicação do uso de venenos
> Condicionar o acesso ao trânsito automóvel e a actividades humanas em áreas importantes de nidificação, durante os períodos mais sensíveis
> Ampliar as sanções legais para os prevaricadores em matéria de perseguição/abate de espécies protegidas
> Promoção de campanhas de sensibilização e educação ambiental para os caçadores, agricultores e o público em geral
> Programas de monitorização da espécie, a nível nacional

Ligações Externas

Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal (2005)
Disponível no portal do ICNF

Plano Sectorial da Rede Natura 2000 - Fichas de caracterização ecológica e de gestão das espécies de Aves
Disponível no portal do ICNF

Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Projecto LIFE Habitat Lince | Abutre
Promoção do Habitat do Lince-ibérico e do Abutre-preto no Sudeste de Portugal

Portal "Aves de Portugal"
Onde observar:

Utilização de observações não-estandardizadas para desvendar os padrões de ocorrência do abutre-preto Aegypius monachus no sul de Portugal.
Lourenço, P. M. (2011)

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial do Aegypius monachus na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO