Nome Científico: Aquila adalberti (Brehm, 1861)

Nome Comum: Águia-imperial-ibérica

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Accipitriformes
Família Accipitridae
Género Aquila
Espécie A. adalberti

Sinonímias: Aquila heliaca adalberti

Estatuto de Conservação: CR - Criticamente Ameaçado

Águia de grande porte, com bico e garras robustas, cuja plumagem varia até atingir a maturidade. Os juvenis vão do castanho ao ocre, têm os bordos posteriores das asas escuros, o uropígio branco e as primárias internas claras (formam uma "janela" pálida bastante característica). Os adultos, que vão do castanho-escuro ao negro, são semelhantes aos de Águia-real, no entanto, distinguem-se desta pela coroa (nuca) e ombros marcadamente brancos, assim como pelo formato rectangular das asas e pela cauda mais clara.

Ocorre nos habitats agro-florestais mediterrânicos, tais como os montados de sobro e azinho, rodeados por culturas cerealíferas extensivas e matos arborizados, mas também em zonas montanhosas ou em vales fluviais escarpados.

Actualmente, como nidificante está restrita a Portugal e Espanha (endemismo Ibérico), sendo que em território nacional ocorre na Beira-Baixa e a sul do Tejo.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Vale do Guadiana



> Envenenamento
> Caça ilegal
> Linhas de transporte de energia (electrocussão)
> Pilhagem e destruição dos ninhos
> Diminuição das populações de Coelho-bravo
> Alteração e destruição do habitat

> Controle e fiscalização no uso de venenos
> Controle da caça ilegal
> Recuperação e conservação do habitat
> Mitigação do impacte das linhas elétricas (implementação de medidas que evitem a eletrocussão)
> Acções de educação e sensibilização ambiental

Ligações Externas

Livro Vermelho dos Vertrebados de Portugal (2005)
Disponível no portal do ICNF

Plano Sectorial da Rede Natura 2000 - Fichas de caracterização ecológica e de gestão das espécies de Aves.
Disponível no portal do ICNF

Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie

Projeto LIFE Imperial
Coordenado pela Liga para a Protecção da Natureza (LPN)

Portal "Aves de Portugal"
Onde observar:

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Aquila adalberti na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO